Bienal 1.618

15 de Maio de 2018

E se o belo mudasse verdadeiramente o mundo? E se o desenvolvimento sustentável fosse uma das soluções para tornar a vida mais criativa e inovadora? E se todas essas possibilidade já estivessem disponíveis e ao alcance de todos? Essas são algumas das questões que serão analisadas durante a 5ª edição da Bienal 1.618, que acontece no Carreau du Temple, no bairro do Marais, em Paris, onde marcas de luxo, empresários, criativos, futuristas, ONGs, artistas e personalidades de renome vem se articulando para encontrar soluções para um mundo melhor. De 1º a 3 de junho a Bienal 1.618 vai se transformar num ponto de encontro privilegiado com o objetivo de favorecer a permuta de inspirações e experiências para sensibilizar a sociedade civil sobre as mudanças que favorecem um estilo de vida ecologicamente correto. Palestras e exposições vão colocar em evidência projetos visionários, empreendedores, empresas e empresários, que abriram as portas dessa discussão sobre a ética nos negócios e cuja experiência é capaz de iluminar essa nova era do consumo consciente.

Barbara Coignet, diretora e criadora da Bienal 1.618 é enfática ao afirmar que “nossa missão é estabelecer uma aliança com empresas públicas e privadas com o intuito de formar parcerias.” De acordo com Coignet para melhorar a eficácia dessas alianças um processo seletivo rigoroso foi emplementado, onde a empresa ou as instituições interessadas em participar dessa missão devem cumprir certos critérios de legalidade, profissionalismo, experiência, transparência e comprometimento, além de certificações adequadas para atender às expectativas de um consumidor exigente que prefere de marcas com significado. “Desde 2009, quando demos início a esse projeto, muitas coisas mudaram e, embora essa necessidade de mudança seja urgente e a essência do processo seja complexa, estamos cada vez mais cientes de que chegamos em um ponto de viragem importante para validar iniciativas de desenvolvimento sustentável, onde transparência, qualidade, criatividade e inovação andam lado a lado,” atesta Coignet.

“No passado, os pioneiros da ecologia alcançaram muitos objetivos e seus esforços não foram em vão, agora, mais do que nunca, a sociedade civil e os empresários em geral estão conscientes da importância de influenciar positivamente os consumidores e corrigir o impacto negativo das atividades humanas. Por isso, selecionamos criteriosamente nossos parceiros, através de um comité de peritos independentes, porque a visão que temos do novo luxo é a de promover a proteção dos recursos naturais do nosso planeta, promovendo um consumo consciente,” discursa Coignet. Para dar suporte a esse projeto da agência 1.618, mais de 40 empresas francesas e estrangeiras, engajadas e ecologicamente responsáveis oriundas de segmentos variados, como arquitetura, design, mobilidade, turismo, gastronomia, nova tecnologia, moda, joias, bem-estar, responderam sim às motivações de Barbara Coignet e o que elas propõem como soluções para o futuro poderá ser apreciado durante a Bienal 1.618.

IMAGEM © 1618 © Osklen Instituto-E ©Yorick Levesque © Cleber R. Bonato  

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®