“Cartier Libre”

7 de Dezembro de 2017

 

Todos os códigos da Maison Cartier estão presentes nas peças iconográficas da relojoaria feminina mas a releitura é outra. A coleção “Cartier Libre” foi repensada em todos os detalhes, redesenhados para conferir muito mais leveza e modernidade aos modelos “Baignoire” e “Crash”, que ganharam um toque de genialidade em materiais preciosos e contrastes cromáticos. Leves, funcionais e altamente design, a coleção de relógios “Cartier Libre” vai ser apresentada para aficcionados e colecionadores durante a edição do Salão Internacional da Alta Reloageria, que acontece em Geneva de 15 a 19 de Janeiro de 2018.

Foram as equipes parisienses do estúdio de criação de relojoaria da Cartier que assinam essa bela metamorfose da coleção “Cartier Libre” em edição limitada. Instalados no coração da capital num atelier atravessado pela luminosidade e protegido dos olhares curiosos, que esses magos dos detalhes se dedicam ao design de joias e relógios. Nessa atmosfera de concentração e inteligência aguçada, dez pessoas criativas, vindas de origens diversas e com um percurso atípico, complementam suas especialidades criando uma sinergia capaz de fazer transcender a mais pura criatividade. No final, a precisão de cada cada ponteiro faz pensar que, juntos, os designers orquestraram, de fato, o tempo.

Do desenho à intuição, nada substitui o talento, a destreza das mãos, o gesto livre, preciso e guiado pelos códigos da maison, que permitem ao designer dar vida a uma ideia original que vai levar para a posteridade o nome Cartier. Esse desenho inicial serve como referência e permite estabelecer um conjunto de especificações nas quais as etapas de implementação, avaliação e acompanhamento conduzem e corroboram cada elemento rumo ao volume da peça em três dimensões. São esses detalhes e a acuidade do trabalho manual, que podem ser apreciados nessa coleção “Cartier Libre”, que acumula um je ne sais quoi de estilo, elegância, sofisticação e certificam a ultra-feminilidade dessas peças requintadas. De aparência frágil e delicada pelas suas proporções, os relógios “Baignoire” e “Crash”, foram estética e tecnicamente repensados na arte do Minimalismo, fazendo ecoar todo o savoir-faire da maison.

IMAGEM Paul Lepreux © Cartier

 

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®