Como uma joia

7 de Fevereiro de 2018

As delicadas guaches ou rascunhos são o guia visual para o joalheiro, a base do trabalho sobre a qual o artesão coloca as pedras e constroi o volume de cada peça: braceletes, pulseiras, anéis, colares. Exibidas no Musée d’art et d’industrie André Diligent, conhecido como “Piscina de Roubaix”, no norte da França, a mostra “Les gouachés : un art unique et ignoré”, em tradução livre, “Guache uma arte única e ignorada” fica em exibição até 01 de abril. Os visitantes podem admirar uma seleção de 700 desenhos de arquivos da coleção particular do joalheiro Dael & Grau, mostra preciosos desenhos preparatórios de joias criadas entre 1900 e 1950. Muitos desses desenhos exigiram horas de trabalho e, graças aos seus detalhes, o joalheiro pode realizar joias intrincadas que solicitam ainda muito mais tempo e habilidades para que o design, desenvolvimento e tratamentos da superfície, polida, martelada, gravada, escovada ou lixada, possam ser elaborados detalhadamente. Da coloração de gemas de cabochão ou facetadas usadas em joias, tudo é estudado e os guaches permitem essa análise minunciosa quadro a quadro e demandam uma pesquisa gráfica sucessiva, resultando no próprio adereço e na criação de adornos com desenhos temáticos. Essas criações, pouco acessíveis ao público, que apresentam formas inusitadas em cubo, elipse, cilindro, cone, esfera, pirâmide, são a essência da história da joalheria.

IMAGEM: A. Leprince 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®