Denny Imbroisi

1 de Março de 2017

Aluno aplicado que deu seus primeiros passos ao lado de Chefs renomados como Andréa Villani, Mauro Colagreco e William Leudeuil, Denny Imbroisi ainda guarda a essência do adolescente curioso e dinâmico que aprendeu a cozinhar com seu pai. Das tradicionais receitas familiares, o aprendiz de Chef desenvolve seu talento no “San Domenico”, em Imola, primeiro restaurante italiano a obter 2 estrelas no Michelin. “Aqui aprendi o rigor e a precisão necessária para preparar receitas de massas”, relembra o jovem aprendiz de cozinheiro, para mergulhar na cozinha moderna do Chef Corrado Fasolato em Veneza antes de embarcar para a grande aventura da sua vida na França.

Ainda próximo da fronteira italiana, em Menton, no Sul da França, Imbroisi aperfeiçoa seus conhecimentos durante dois anos com o Chef Colagreco, com quem partilha o prazer de viajar, além de aprender a enriquecer receitas com novos elementos, como ervas e flores, colhidas diariamente nos jardins do restaurante “Mirazur”. Mais uma etapa concluída, Imbroisi decide fazer um estágio em Paris por uma semana, que se transformou em 24 meses graças ao calor humano de William Leudeuil. Com o Chef do Ze Kitchen Gallerie & Kitchen Galerie Bis, “aprendi a dar livre curso à minha criatividade através de experimentações com texturas diferentes, associando novos sabores e novos métodos de cozimento. Um exercício de aprendizagem educativa que me permitiu integrar a seleção do programa “Top Chef 2012”, conta. Depois da competição e com apenas 24 anos Denny Imbroisi integra como sub-chef a equipe do famoso restaurante “Jules Verne”, de Alain Ducasse, situado na Torre Eiffel.

Uma experiência que entrou para a formação do novo Chef que não hesitou em aplicar seus conhecimentos na criação do seu restaurante IDA (117, rue de Vaugirard, Paris). Correspondance Magazine® conversou com o italianíssimo Chef Denny Imbroisi para saber o que ele pretende fazer nos proximos anos e quais os seus planos para realizar seu grande sonho: obter uma estrela e figurar no Guia Michelin.

INSPIRAÇÃO – São múltiplas e tento me impregnar de tudo que me cerca, minha equipe me inspira diariamente e nós partilhamos tudo e aprendemos muito juntos. Também leio bastante, de revistas culinárias aos livros clássicos, como “Le Grand Livre de Cuisine” de Alain Ducasse, que tenho há mais de 10 anos, e que é minha obra de referência. Fico atento ao que é mostrado nas redes sociais, onde não há fronteiras, cujo conteúdo oferece inspirações permanentes assim como as pessoas que amo e admiro, cuja opinião aprecio bastante.

PARCERIA A troca de experiência e informação com nossos fornecedores corriqueiros e os que vem ao restaurante e propõem novos produtos é enriquecedora e me desafia a utilizar esses produtos que ainda não conheço para criar novas receitas.

EXEMPLO Sem hesitar, Andréa Villani, que foi o primeiro Chef que encontrei quando fazia extras aos finais de semana em seu restaurante quando tinha 14 anos. Ele era paciente e me explicava quantas vezes fosse necessário algo que não entendia e tínhamos uma relação amigável na cozinha, seu comportamento se transformou numa verdadeira fonte de motivação e graças a ele decidi me tornar um cozinheiro. Ou quase, porque meu pai foi quem abriu meus olhos para essa profissão, mas ele era mais radical e fazia uma cozinha tradicional e familiar. Com o Chef Villani tinha outra maneira de criar receitas mais modernas e originais.

MOTIVAÇÃO O bem-estar dos clientes é minha prioridade e minha proposta é oferecer produtos de qualidade a preços moderados com receitas elegantemente elaboradas.

REFERÊNCIA Tive a sorte de aprender com Alain Ducasse as bases gastronômicas que aplico em meu restaurante IDA e minha cozinha obedece ao compasso das estações do ano. Graças a esse ritmo aprendi a compor uma cozinha simples, leve, colorida e eficaz, que é nossa referência.

MENTOR – Tenho três mentores: Warren Buffett, grande homem de negócios e investidor americano que do nada construiu um império; o Chef William Ledeuil, que admiro pela sua capacidade de desenvolver excelentes relações interpessoais. Para mim, ele é uma referência de um ser humano admirável e um grande administrador e Alain Ducasse, Chef e businessman, que conseguiu impor sua marca para além das fronteiras culturais, estabelecendo sua cozinha no mundo inteiro.

FERRAMENTAS – Em primeiro lugar, uma faca. Com esse instrumento é possível fazer quase tudo: cortar legumes, carne, peixe, desossar um porco, enfim, indispensável. Em segundo lugar uma a panela para cozinhar minhas massas e em terceiro lugar… não existe um terceiro acessório porque com uma faca e uma panela posso fazer tudo!

PROJETOS Adoraria criar uma instituição da pizza em Paris, uma boa pizza preparada de acordo com as regras da arte à italiana. Também almejo que meu restaurante IDA continue crescendo para que meus clientes se sintam à vontade num espaço maior com uma decoração elegante e, se possível, um dos meus maiores sonhos, é conquistar uma estrela no guia Michelin.

IMAGEM – Guillaume Czerw & Stéphane Riss 

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®