DNA da arquitetura

25 de Janeiro de 2016

Os irmãos Daniel e Michel Bismut são o yin e o yang da arquitetura de interiores, juntos, elaboram do desenho dos móveis à decoração que vai esculpir espaços atemporais. Nascidos numa família de arquitetos e decoradores, os irmãos Bismut se acostumaram desde à tenra infância à viverem num ambiente estético, visto que os avós e os pais eram decoradores nos anos 20, onde o culto ao belo era um hábito cultivado cotidianamente. Tanto que para Daniel e Michel Bismut o fato de terem se tornado arquitetos parecia ser o caminho natural a ser seguido. O que eles fizeram foi apenas implementar, cada um com suas habilidades específicas, o DNA da arquitetura que herdaram dos seus antepassados.

Para os Bismut cada linha do projeto segue uma combinação bem ordenada com uma sequência de imagens que se submetem ao rigor da beleza, como se fossem quadros cubistas, onde os espaços se assemelham à instalações artísticas. O espírito dessas criações é definido pelo controle dos volumes, das linhas retas e dos materiais refinados, que certificam uma áurea de extrema elegância aos projetos que assinam. Verdadeiros mestres na arte de decorar, os arquitetos concebem cada projeto de interiores de modo que os detalhes se harmonizem dando ressonância aos ambientes. Para uma integração entre o projeto arquitetônico e a decoração de interiores, Daniel e Michel Bismut pontuam os espaços com peças clássicas de mobiliário que levam a assinaturas de Eileen Gray, Jean Prouvé, Bruno Rainaldi, Marc Sadler, Charles Eames e, para finalizar cada ideia com uma personalização original, preenchem os espaços com obras de Anish Kapoor, Irving Penn, entre outros.

Bismut projects

Imbuídos do conceito de embelezar a vida dos outros, Daniel e Michel conjugam em seus projetos a arte de criar espaços íntimos, funcionais e acolhedores. Enquanto um dos irmãos se vale  da intuição, o outro trabalha com a razão para elaborar propostas e implementar ideias que jamais existiram. Valendo-se desse mote, tudo passa pelo crivo da dupla, do tipo de piso às cores das paredes. Até mesmo as molduras não ficam incólumes à uma certa elegância refinada que é a alma dos Bismut. Para implementar algumas reformas internas, quando o imóvel solicita mas, sem contudo, afetar a estrutura do prédio, os arquitetos optam por criar diferentes aberturas, apropriando-se de janelas e portas que funcionam como passarelas entre os cômodos.

15435190682_68ce1d5bec_o

No mobiliário, os designers optam invariavelmente por fazê-los sob medida, muitos dos quais, desenhados por eles mesmos, abusando dos desenhos geométricos que conferem movimento e fluidez à atmosfera dos ambientes, deixando prevalescer uma referência decorativa com estilo requintado. Como o efeito dos sofás frente à frente sob uma plataforma, delimitados por cadeiras colocadas lado à lado e mesas que preenchem visualmente o espaço sem dar a sensação de uma sala excessivamente decorada. Uma solução definitivamente arrojada e sofisticada, que enfatiza a beleza dos volumes com uma forte produção de senso estético. Algo peculiar à família Bismut.

www.bismut.com

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®