Isabelle no Castelo Malromé

16 de Março de 2018

“Nem copiar, nem modificar a essência do Castelo Malromé, que no passado era a residência do artista Henri de Toulouse-Lautrec, mas modernizá-lo mantendo sua aparência clássica”, conta a arquiteta de interiores Isabelle Stanislas, que redesenhou os espaços de recepção, galeria de arte e da boutique-livraria. “A ideia dessa renovação, comandada pelas propriétarias Mélanie e Amélie Huyn, me fascinou pelo seu interesse em preservar a história do Castelo Malromé e o espírito da família Toulouse-Lautrec.” Situado entre os rios Garonne e Dordogne, no sudeste de Bordeaux, esse ambicioso projeto de grande envergadura levou anos e foi desenvolvido em conjunto com o arquiteto geral Laurent Negretti e a comunidade dos Compagnos de France. “Nada foi deixado ao acaso, cada elemento tinha que ser escolhido corretamente. Das perspectivas à seqüência de volumes, que desempenharam um papel importante na escolha entre deixar ou não as estruturas aparentes, à importância da escolha do solo para harmonizar os trajetos entre todos os espaços”, confirma Stanislas.

Se apropriar do espírito do lugar, que era uma residência familiar de Henri de Toulouse-Lautrec foi o foco de Isabelle Stanislas e do arquiteto geral Negretti, que incorporaram ao projeto equipes e primordiaram a utilizam de materiais da região para manter a autenticidade desse castelo do século XVI. “A ideia mestra não era apenas se concentrar na parte decorativa, o objetivo era destacar o lado antigo do lugar,” completa a arquiteta de interiores. Os maiores desafios foram técnicos, principalmente relacionados à acústica, som, iluminação, que receberam atenção especial das equipes de artesãos que trabalharam incansavelmente nessa renovação.

O Castelo Malromé que abriga uma galeria de arte contemporânea em uma de suas alas, oferece toda a comodidade para os visitantes de um dia com sua vasta programação de visitas temáticas,dos aposentos da família de Toulouse-Lautrec, restaurante, café, áreas de relaxamento, caminhadas nos jardins, degustação de vinhos e mel, produzidos no local, além de uma galeria com uma agenda de exposições anuais. Para Isabelle Stanislas, o Castelo Malromé é mais que uma referência para o enoturismo na região, ele agrega valores históricos, artísticos e familiares. “É uma viagem no tempo, onde os traços do passado abrem caminho para os novos modos de vida do futuro, oferecendo aos visitantes uma experiência arquitetônica singular, pensada para enebriar todos os sentidos.”

IMAGEM Château Malromé © Benoit Linero

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®