Lindsey Adelman

11 de Abril de 2017

Antes de cursar design industrial e mudar radicalmente sua trajetória profissional e artística, a novaiorquina Lindsey Adelman estudou literatura inglesa. Mas, em lugar de estimular seu talento criativo para escrever poemas, poesias ou contos, Adelman preferiu desenhar objetos artesanais e rimá-los com objetos industriais. Desde o ano 2000, a designer americana cria sua própria linha de luminárias de vidro soprado e continua a fazer pesquisas especializadas em torno da luz e do vidro, um de seus assuntos prediletos. Adelman desenvolve suas coleções e desenha suas próprias instalações em seu estúdio no bairro NoHo (North of Houston Street), em Manhattan, com a ajuda de sua equipe e de uma seleção especializada de artesãos locais.

Suas criações já foram exibidas no Beirut Art Center, no Cooper-Hewitt National Design Museum e na Design Miami Fair e mais recentemente durante a Design Week de Milão, representada pela Galeria Nilufar. Correspondance Magazine® foi conferir as peças de Lindsey Adelman para captar a sua verve criativa, sobretudo, quando se trata de fascinar a todos com esses belos pendentes em latão travestidos de luminárias, batizadas com nome de romance “Cherry Bomb Fringe Flush Mount”.  

CONCEITO – Continuo sendo atraída pela tensão existente entre o ambiente construído e a intervenção da natureza. Esta nova instalação “Catch Sconces”, criada para a Nilufar, me lembra algo amorfo e vivo que se joga e se esmaga num bloco de edifícios da cidade.

INSPIRAÇÃO – No passado fui inspirada por exemplos de fenômenos semelhantes, como videiras que crescem em uma cerca e se entrelaçam em corrente ou uma lona rasgada soprando no vento fora do telhado de um celeiro.

CRIAÇÃO – Estas novas peças são um destilado emparelhado para baixo na manifestação deste meu contínuo interesse por tudo o que é amorfo, mas que tem e inspira vida. “Catch Sconces” é a exploração de uma nova tipologia em vidro que integra metais em recipientes únicos, como copos e lâmpadas a óleo.

SINGULARIDADE – Cada peça incorpora uma misteriosa forma orgânica livre em vidro causando ‘estragos’ num ambiente fabricado, planejado representado em uma base em latão.

IMAGEM – Lauren Coleman

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®