Museus Yves Saint Laurent

8 de Junho de 2017

“Sempre disse que tínhamos que transformar memórias em projetos”, confessou Pierre Bergé, anunciando a abertura de dois museus dedicados à Yves Saint Laurent (1936-2008), durante a coletiva de imprensa de hoje, 08 de junho, em Paris. “E é isso que fizemos ao criar os museus Yves Saint Laurent, em Paris e Marrakech, com abertura prevista para o outono deste ano”, confirma o ex-companheiro do estilista e co-fundador da maison de couture. O projeto dos dois museus é ambicioso e confirma o interesse da Fundação Pierre Bergé – Yves Saint Laurent de preservar uma apresentação de coleções constantemente atualizada com o objetivo de manter o público cativo e conhecedor do rico patrimônio da maison.

O museu Yves Saint Laurent em Paris vai ocupar o endereço histórico da Maison situada no número 5, Avenue Marceau, 16ème arrondissement. Lugar mítico onde, por mais de 30 anos, de 1974 a 2002, foram desenvolvidas as coleções de Yves Saint Laurent e desde 2004 acolhe a Fundação Pierre Bergé – Yves Saint Laurent. Os antigos salões de haute couture e o estúdio de criação de Yves Saint Laurent serão integrados ao percurso, mergulhando os visitantes no coração do processo criativo dessa maison de couture. A cenógrafa Nathalie Crinière e o decorador Jacques Grange serão os mestres da cenografia desse local, aprovisionando os espaços de exposição dentro da atmosfera original de uma residência artística. “Não teremos um espaço dedicado a exposições temporárias. O objetivo é, principalmente, mostrar como funcionava uma maison de haute couture no século XX,” conclui Olivier Flaviano, diretor do futuro Museu Yves Saint Laurent em Paris.

“O Marrocos sempre foi uma fonte de inspiração para o estilista e grande influência sobre seu trabalho e lugar de predileção do estilista que passava regularmente suas férias na cidade desde 1966,” confiou Pierre Bergé. “Portanto, nada mais natural termos escolhido construir esse museu em Marrakech com as coleções da Fundação Yves Saint Laurent.” Localizado na rue Yves Saint Laurent, a 30 metros do Museu Berbère e do Jardim Majorelle, este último uma aquisição feita em 1980 pelo costureiro e Pierre Bergé, o museu não terá nenhuma coleção própria, todas as peças serão escolhidas nos depósitos da Fundação Yves Saint Laurent, tendo como princípio a evocação do trabalho da cor e da relação do estilista com a África. O novo edifício, com uma área de 4000 m², inclui um espaço de exposição permanente com o trabalho de Yves Saint Laurent e cenografia de Christophe Martin, uma sala de exposições temporárias, um auditório, uma biblioteca de pesquisa, uma livraria e um café-restaurante.

Yves Saint Laurent decidiu, em associação com Pierre Bergé, que ele conheceu em 1958, criar sua própria maison de couture, cuja primeira coleção foi apresentada em 29 de janeiro de 1962 na rua Spontini em Paris, onde eles permaneceram por doze anos, durante os quais Yves Saint Laurent inventou o guarda-roupa da mulher moderna: o casaco e o trench coat em 1962, o primeiro smoking em 1966, o “Sahara” e o primeiro terninho em 1967, o primeiro vestuário em transparência e o macacão em 1968. Se valendo dos códigos masculinos, Yves Saint Laurent conferiu às mulheres ousadia e poder mantendo sua feminilidade, e também inovou ao se tornar o primeiro estilista a vestir todas as mulheres de todas as classes sociais e não apenas a rica clientela da Maison. A boutique Saint Laurent – Rive Gauche, fundada em 1966, em Paris, foi a primeira loja de prêt-à-porter a ostentar o nome de um designer. Uma revolução sem precedentes que abriu caminho para o negócio da moda tal qual o conhecemos atualmente.

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®