Nathalie Ryan

30 de Outubro de 2016

A arquiteta de interiores construiu sua carreira no universo do luxo desenhando boutiques ao redor do globo durante os 10 anos em que foi diretora de arquitetura da maison Dior. Para em seguida desenvolver outros projetos à beira-mar e nas estações de esqui mais exclusivas. Nos Estados Unidos, construiu um belo chalé e villas em Aspen, na França, finalizou o recente hotel 5 estrelas “Les Neiges”, em Courchevel. Ainda para o Grupo Barrière, Ryan redesenhou a arquitetura de interiores dos hotéis “Barrière Royal” e “Normandy”, em Deauville, do “Majestic”, em Cannes, além de acumular projetos arquiteturais para o grupo “Four Seasons”, no Canadá. “Todas essas propostas de lugares diferentes e projetos dos sonhos, me forçaram à buscar a excelência e a me superar constantemente”, destaca a arquiteta irlando-canadense. Os anos de experiência no mundo da alta-costura concederam a Nathalie Ryan um senso estético refinado que se encaixa harmoniosamente aos projetos que solicitam uma pitada de transformação com criatividade e luxo refinado mas sem ostentação.

Estrategicamente localizado da estação de esqui de Courchevel 1850, o hotel “Les Neiges” promete ser o local ideal para uma temporada de inverno nas montanhas geladas com sua decoração que alia elegância discreta com conforto sofisticado. Do alto dos seus sete andares que acolhem 42 quartos e suítes, o hotel propõe aos seus clientes três restaurantes e a  brasserie Fouquet’s e possui uma das maiores e mais luxuosas salas de esqui que mede 240 m² e um clube infantil “Petit VIP”. Para desfrutar de um conforto total depois do esqui, um Spa distribuído em 1 000m², o maior da estação, abriga uma piscina coberta de 20 m com uma jacuzzi exterior. Para falar das tramas criativas desenhadas especialmente para a  transformação do hotel “Les Neiges”, em Courchevel, a arquiteta de interiores e decoradora falou com exclusividade ao Correspondance Magazine® sobre o que a motiva em seu métier.

O que você sentiu ao aceitar este projeto, concebido especialmente para receber pessoas do mundo inteiro, numa estação famosa como Courchevel?

– Em primeiro lugar, ser selecionada entre tantos concorrentes é sempre uma honra e uma oportunidade para agradecer ao Sr. Dominique Desseigne (CEO do Grupo Lucien Barrière) pela sua confiança no meu trabalho. O sucesso desse projeto está diretamente relacionado às pessoas, aos clientes, aos amigos e aos parceiros de negócios, que vão escolher se hospedar no hotel “Les Neiges”. Para que essa experiência seja inesquecível, coloquei toda a minha paixão e os meus desejos com o objetivo de criar uma atmosfera singular. 

Você seguiu algumas instruções do Grupo Barrière sobre este projeto ou teve “carta branca” para redesenhar o hotel “Les Neiges”?

– Tive carta branca, mas foi necessário imaginar um ambiente aconchegante, luxuoso e naturalmente elegante, como um desejo de se destacar na estação com uma abordagem centrada na família e no conforto.

Quais foram os desafios da arquitetura à decoração? Como você os superou?

– Um projeto como o “Les Neiges” é emocionante e devorador, além de solicitar um grande espírito criativo e forte produção técnica. Minha equipe e a do Grupo Barrière trabalhou em simbiose e foi especialmente esse espírito de unidade que confere sucesso a esse projeto hoteleiro.

Para dar uma dimensão da carga de trabalho de um projeto como este, como você imaginou os espaços e as perspectivas da arquitetura? 

– Os primeiros passos mais complexos são ligados ao fluxo de tráfego interior. Logo na entrada do hotel, a recepção é naturalmente íntima com uma proporção que dá ao cliente uma sensação de chegar na sua própria casa. Ambientes com iluminação dirigida, porque as perspectivas são de extrema importância, é assim que começa o processo criativo dentro da agência, onde passamos por etapas de pesquisa e inspiração relacionados aos materiais e as atmosferas que desejamos imprimir no espaço. No caso específico de um hotel nas montanhas, os materiais naturais e as inspirações são provenientes das encostas nevadas, que promovem uma atmosfera calorosa com uma abordagem contemporânea.

Conte-nos um pouco sobre este processo criativo aplicado à decoração.

– Para dar um exemplo de como fazemos uma imersão total no processo criativo, transportamos para o carpete dos corredores a imagem dos traços do esqui impressos na pista, através de uma palheta de cores em tons laranja e azul imitando as belas tonalidades do pôr-do-sol nas montanhas. Esse ziguezague em forma de poeira de neve fina, tal qual um percurso natural de um rio nas montanhas, confere uma certa fluidez ao cliente que o segue ao subir as escadas, entrar no elevador ou quando circula pelos corredores. Além disso, uma enorme arandela em cristais Swarovsky em forma de flocos de neve iluminam a escadaria monumental.

Você algum dia imaginou, ainda no início da sua carreira, que seu talento poderia levar você tão longe?

– Os hotéis “Four Seasons”, as boutiques “Dior” ao redor do mundo me ensinaram a tomar decisões estéticas e estratégicas em projetos dessa escala. Neste hub hoteleiro de luxo que é Courchevel, tentei desenvolver para o “Les Neiges” uma dimensão ultra-humana e este tipo de projeto que reúne luxo, design e clientela me corresponde completamente. A associação desses componentes é essencial para o sucesso de um projeto e é isso que me faz prosseguir.

O que inspira você no quotidiano?

– As relações humanas. Um projeto é conduzido por uma pessoa, todavia, muitas outras vão interagir ao longo do processo. A alquimia dessas pessoas e seus relacionamentos interpessoais é essencial para o equilíbrio do grupo. Em seguida, vem a questão da implementação da visão de cada um dentro do projeto, esse é um dos grandes desafios, mas esse é também um prazer para mim. Afinal, viver é a arte de fazer escolhas.

Como você se define: designer, decoradora, criadora de espaços ou arquiteta de interiores? E por quê?

– Gostaria que você tivesse me dado a escolha de “Realizadora de Sonhos”, acho que isso engloba todas as propostas anteriores!

Com o que você sonha atualmente?

– Com o prazer. O entusiasmo e a alegria são vetores de muitas possibilidades. Conceder esses momentos para si mesmo e para os outros é a essência de tudo, a própria energia da vida e da convivência com os outros. Trabalho e crio com prazer, com o objetivo da partilha, a cada dia, a cada momento. Isso me permite trabalhar com pessoas agradáveis, com clientes que reconhecem meu trabalho e com projetos como este, do hotel “Les Neiges”, que me transportam para um outro mundo!

Portrait – Maria Mikulasova

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®