No reino das lendas

22 de Novembro de 2018

Com suas praias de areia negra, quilômetros intermináveis ​​de tundra e imponentes cachoeiras, a paisagem sobrenatural da Islândia oferece o cenário perfeito para fotógrafos que procuram documentar um lugar que existe aparentemente por magia. Lensman Drew Doggett foi atraído pela paisagem selvagem da ilha, mas foram os cavalos islandeses – reverenciados pela pureza da sua raça, disposição amigável e ética de trabalho duro – que o fizeram viajar para capturar sua mais nova série, apropriadamente intitulada de “No Reino das Lendas”. As cachoeiras, os vulcões e as praias de areia negra são apenas parte do que faz a Islândia não parecer com nenhum outro lugar do mundo. No entanto, apesar destas características naturais, um pouco temerosas, os cavalos se sentem totalmente confortáveis.

Nas imagens que mostram a cachoeira Skógafoss, pode-se ver que os cavalos estão à vontade, apesar de milhões de galões de água estarem batendo na piscina atrás de onde estão. Estes cavalos se sentem em casa em condições que seriam consideradas hostis à maioria e isso faz parte da magia deles. Continue lendo para descobrir como essa coleção de belas imagens surgiu.

Qual é o seu processo para descobrir novos lugares para fotografar?

– Mantenho uma coleção abrangente e crescente de referências, pesquisas, locais e conceitos que estou constantemente aprimorando e aumentando. Estou interessado em assuntos que são atemporais, então antes de pegar minha câmera, sempre me pergunto: “Isso será relevante daqui a 20, 50 ou mesmo daqui a 100 anos? Essa é uma imagem com a qual, pessoalmente, gostaria de viver para sempre, uma que penduraria no meu quarto e com a qual despertaria todos os dias?”. Muitas vezes minhas prioridades sobre o que filmar em seguida se resumem ao fato do assunto poder ser perdido, esquecido ou alterado no futuro próximo.

O que atraiu você nesta raça particular de cavalos?

– Você poderia dizer que esta série é uma mistura do meu amor por raças equestres únicas – como os cavalos da Ilha Sable – e locais incríveis, quase inacreditáveis ​​- como estes da minha série “Dunes: Landscapes Evolving”. A raça em si tem uma incrível história de fundo; estes são descendentes dos cavalos vikings originais que vieram com os primeiros habitantes da Islândia. Eles são amigáveis ​​e ansiosos para ajudar e virão até você, além disso o cenário extremo da Islândia é uma contrapartida perfeita para suas personalidades.

Quais foram as dificuldades em fotografar esta série?

– Ouvimos dizer que a Islândia vive todas as quatro estações do ano – e foi exatamente isso que conseguimos constatar! Além de trabalhar com animais vivos, a parte mais difícil de fazer esta série foi o clima. Passava horas trabalhando nas baixas temperaturas, caminhando pela neve ou à pé na água gelada. Também fiquei consternada ao acordar uma manhã e descobrir que a área pela qual eu me apaixonara e que havíamos filmado nos dias anteriores não era mais acessível devido a ventos fortes e nevascas. Em um ponto nós tínhamos saído do nosso veículo e o vento era tão forte que ficar parado sem ser empurrado era quase impossível. Os moradores locais nos disseram que, naquela área, as portas dos carros estavam propensas a voar para longe, se atingidas pelo vento no ângulo certo!

Muito do seu trabalho é em preto e branco e muitas dessas imagens são coloridas. O que faz você fotografar algo em preto e branco versus cor?

– Vou ser honesto, pretendia que essa série fosse totalmente em preto e branco. No entanto, quando vi pela primeira vez os tons frios e azulados da água e do gelo glaciais e a areia vulcânica mais escura que o preto mais intenso, percebi que a paleta de cores naturais da Islândia era uma parte importante da identidade dos animais e do local. Preto e branco é a minha base porque é atemporal e clássico, mas sempre sinto que a história vem em primeiro lugar e eu tento me daptar a ela. 

Como surgiu o nome “In the Realm of Legends”?

– Existe um elemento subjacente de fantasia que percorre toda a série. Quando decidi viajar para a Islândia, quis ler a história, e logo descobri que a mitologia estava entrelaçada na maioria das histórias contadas sobre sua origem. Mergulhando em mitos e folclore, descobri que os cavalos tem um lugar incrivelmente especial nos contos – reais e imaginados – da Islândia. Eles ocupam histórias infantis e mitologias passadas de geração em geração, que ainda são extremamente importantes na Islândia contemporânea. Nesse ponto, ficou claro que eu precisaria incorporar parte dessa atitude na própria série. Além das imagens – que muitas vezes remetem a ideias coletivas de fantasia ou utopia, achei o título “No Reino das Lendas” muito apropriado, porque estar na Islândia realmente me fez sentir incrivelmente longe de casa em um mundo completamente diferente.

TRADUÇÃO & EDIÇÃO DE TEXTO – Marilane Borges

REPORTAGEM – Elizabeth Wieck

IMAGEM © Cortesia do fotógrafo Drew Doggett

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®