NoMad hotel

20 de Agosto de 2016

NoMad evoca a arte de viajar incógnito, uma das premissas desse hotel novaiorquino, que apostou na cultura dos viajantes modernos para criar em seus espaços mundos diferentes e atmosferas harmonizadas pela cool atitude americana. Com uma pitada de sotaque aristocrático graças a sua fachada em estilo Haussmanniano, o designer de interiores, o parisiense Jacques Garcia soube destilar no projeto a desenvoltura dos americanos da Broadway e a sofisticação francesa. Como resultado, a decoração rende uma verdadeira homenagem ao espírito do bairro onde o NoMad está situado, em Madison Park.

Com seu estilo elegante e sua atmosfera de boutique-hotel, o grande diferencial do NoMad são suas instalações convidativas e tão ecléticas quanto o público que o frequenta. Nos salões, sofás e poltronas confortáveis fazem companhia à alcovas e átrios que ficam ao redor da lareira, o centro de todas as atenções, sobretudo, quando as temperaturas caem bruscamente em Nova York. Mas a atração do local é uma majestosa biblioteca de dois andares com escada em colimação, um convite irrecusável para bibliófilos e epicuristas, que podem passar horas descobrindo os tesouros secretos desse espaço.

Os restaurantes do NoMad, orquestrados pelo chef Daniel Humm e pelo restaurateur Will Guidara faz com que o movimento de entradas e saídas do hotel seja intenso. Na verdade, esse sucesso se deve, entre outros, pelos menus elaborados por Humm e distribuídos nas cinco salas no térreo. Um espaço que comporta os diferentes restaurantes e o bares com seu fabuloso mobiliário com estantes e banquetas mohair, cadeiras de couro e pisos de madeira recuperada, que dão uma sensação autenticamente acolhedora.

O NoMad é ponto de encontro, por isso, o projeto privilegiou ambientes tão diferentes quanto os bairros que o cercam: Soho, Greenwich e Meatpacking. Aqui, os cardápios dos  seus bares e restaurantes propõem fórmulas variadas, que podem ser apreciadas em algum dos vários ambientes. Quem quiser apenas tomar um coquetel sob medida ou saborear um lanche, é possível fazê-lo na biblioteca acomodado em confortáveis poltronas. Para quem está procurando algo mais íntimo para degustar um dos vinhos franceses, há o Parlour, um espaço mais discreto com decoração vitoriana, onde os jantares ou encontros tête à tête são aconselháveis.

Enquanto os ambientes comuns, bar, biblioteca e restaurantes carregam o peso secular do veludo e o impacto das cores mais sombrias, os quartos em contraste são de uma pureza virginal. Iluminados, amplos e com ares de casa de família, as suites do Nomad são um oasis em meio ao turbilhão de eventos mundanos da cidade com uma proposta de tranquilidade garantida.

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®