O Grande Museu do Perfume

28 de Março de 2017

Em todos os momentos da história, o perfume encantou pelo seu charme e sempre esteve intimamente ligado a arte da sedução. Gabrielle Chanel aconselhava as mulheres a usar perfume lá onde elas desejavam ser beijadas! Como a capital do estilo, Paris não contava com um local emblemático, que fizesse jus a suas criações olfativas mas agora os visitantes do mundo inteiro podem aspirar aos odores fabricados na França no Grande Museu do Perfume, instalado no Faubourg Saint-Honoré, numa impressionante mansão que abrigava outrora a maison de couture Christian Lacroix.

Distribuído em 1400 m² e ocupando três andares, o Grande Museu do Perfume se autointitula como “científico, criativo e público” de acordo com seu presidente Guillaume de Maussion. “A ideia é convidar o público a se reconectar com seu olfato, muitas vezes esquecido, e descobrir sua importância na vida diária”, afirma. Para isso, o Grande Museu do Perfume apresenta uma coleção olfativa com mais de 70 odores que emanam de gigantes emissores com sensores de movimento. Além desse atrativo cenográfico moderno, o percurso é dividido em três fases: a história do perfume, a imersão sensorial e a arte de perfumar. Logo na entrada o visitante é saudado pelo cheiro do “kyphi”, primeiro perfume da humanidade, que traça as principais etapas da história dos antigos perfumes egípcios até a evolução da arte da perfumaria passando por Grasse e Paris. Na galeria dos sedutores, o Grande Museu do Perfume expõe a privacidade olfativa de casais ilustres, entre os quais, Cleópatra e Marco Antonio, a rainha de Sabá e o rei Salomão, Luís XIV e a Marquesa de Montespan, Napoleão e a Imperatriz Eugênia.

No andar superior é possível inalar diversos cheiros e um grande buquê de rosas estilizado ajuda a explicar por que são necessárias 400 moléculas diferentes para formar um odor. No “jardim perfumado” sinos olfativos expandem os aromas do cotidiano incentivando os visitantes a adivinhar, reconhecer odores naturais como os de manjericão, limão, lenha, framboesa ou canela e descobrir as notas químicas utilizadas para compor uma fragrância. Com uma decoração iluminada, dominada especialmente pelas tonalidades de branco, cinza claro e dourado, as instalações pontuam esta viagem olfativa com gotas florestais suspensas compostas de 25 das melhores substâncias da perfumaria. Além de inalar essas bolas aromatizadas, os visitantes recebem informações especializadas dos perfumistas de plantão que contam a história dos odores e seus segredos. Esta deliciosa aventura conduz o visitante para o laboratório e seu órgão à perfume, uma sala secreta que reinterpreta através do som e da luz o balé dos perfumistas ao criar uma fragrância como uma verdadeira joia.

O Grande Museu do Perfume, que tem como ambição ser um lugar de “partilha e troca” para os profissionais, cientistas e para o público em geral, planeja organizar vários eventos, como ateliês para os jovens, espetáculos, projeções de filmes, oficinas gastronômicas com o intuito de criar uma sinergia entre outras disciplinas artísticas tendo como objetivo estabelecer o diálogo em torno do perfume.

TEXTO – Chantal Manoncourt 

IMAGEM –  Jacques Penon,  Irene de Rosen, Isabelle Chapuis & Alexis Pichot

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®