O refúgio e as aranhas

12 de Janeiro de 2018

Considerada a grande mãe, a criadora cósmica e a tecelã do destino, a aranha é dedicada à fiação e à tecelagem, representando assim, um símbolo de beleza, sorte e construção de uma realidade interior… Combatendo e confrontando artisticamente um antigo medo infantil, o designer e artista romano Marc-Ange se valeu dessas referências conceituais cheias de significados para desenhar uma cadeira estilizada que reproduz uma aranha. Com sua multiplicidade de pernas metalizadas e seu acento hemisférico envolvido nos tecidos Sunbrella, “Les Araignées”, nome de batismo desse objeto design, podem ser expostas tanto no interior como no exterior da residência.

Assim como uma aranha, que tece sua própria casa, Marc-Ange evocou mais uma vez seu imaginário onírico para criar um refúgio contra as armadilhas da vida. Propositalmente elaborada em cor de rosa, para contrastar com a realidade, muitas vezes acinzentada, o designer esculpiu uma obra de arte “Le Réfuge”, um oásis repleto de gigantescas folhas ornamentais, que pode ser instalado num jardim ou em lugares públicos. A ideia? Se valer de um espaço privado onde apenas o imaginário possa cohabitar, criando um abrigo de aparência ilusória, enquanto os homens desafiam seu destino.

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®