Patrick Nourget

6 de Outubro de 2015

08_patricknorguet_adinterieurs15-photo-claire-israelPara festejar mais uma primavera, AD Intérieurs convidou 15 decoradores, designers e criadores para montar cenários que reflitam os modernos modos de vida. Do escritório à cozinha, passando pela sala, todos se impregnaram de suas referências estéticas para criar uma cenografia rica e imaginativa colocando em evidência a decoração de interiores do futuro. A apresentação desses projetos no Palácio de Iéna, sede do Conselho Econômico, Social e Ambiental, mostrou vários cenários criativos em harmonia com essa temática atual. Correspondance Magazine® entrevistou com exclusividade Isabelle Stanislas, Bismut & Bismut, Dimore Studio, Damien Langlois-Meurinne, Thierry Lemaire, Patrick Norguet, Oitoemponto, Daniel Suduca e Thierry Mérillou para conhecer em detalhes suas histórias, aspirações, novos projetos e muito mais… Boa inspiração!

Fale-nos um pouco da sua trajetória…

– Pode-se dizer que minha trajetória que girou em torno do desenho por um longo tempo: dos desenhos de criança para a descoberta do rigor com o design industrial. Depois de estudar engenharia, para completar meus estudos de design, vivi uma aventura de dois anos na Louis Vuitton antes de criar meu próprio estúdio em 2000, este é o fio vermelho de minha carreira, que gira em torno da experiência, da minha paixão pelo processo e da capacidade dos homens para inventar e reinventar-se.

Quais são suas fontes de inspiração?

–  Minha inspiração é contextual e emerge de acordo com o universo em que viajo: uma máquina, um instrumento, a companhia de homens, tudo pode me inspirar.

Quais as palavras que melhor definem seu trabalho?

– Trabalho e trabalho duro, foco, paixão, rigor e, principalmente, amor ao que faço.

Como você escolhe os materiais com os quais irá trabalhar?

– Tudo depende. As escolhas são muitas e variadas. Dependendo do projeto e das necessidades decorrentes deles, que me permitem traduzir as ideias e torná-las possíveis. O material está muitas vezes à serviço da função e raramente oposto a esta.

Você trabalha sob o ritmo das tendências ou segue sua própria intuição?

– Denuncio tudo o que é tendência, uma palavra que luto para não incorporar ao meu trabalho. As tendências são muitas vezes automatizadas por pessoas que as usam como “goodwill” e é impossível para um designer trabalhar sobre esse princípio. O design está acima das tendências. Na verdade, trabalho com a intuição, que é uma forma de disciplina que resulta de uma longa jornada; é uma obra de cada momento, não é um dado, é como um pianista que trabalha todos os dias, durante várias horas, para cultivar sua excelência.

Existem figuras do mundo da decoração e do design ou outra área que o inspiram?

– Muitas pessoas ao redor do mundo me inspiram. Gosto de apreciar o trabalho e a consistência, o esforço, a inovação e, sobretudo, uma mente honesta. Recentemente, fiquei bastante tocado pelo trabalho do artista francês Patrick Neu, muito à frente do seu tempo.

Como você se define: designer de interiores, decorador ou criativo?

– Gosto de me posicionar como designer. Não sou um decorador. Meu trabalho é principalmente de escuta, análise, percepção e criação porque minhas colaborações são baseadas no diálogo. Discuto muito cada um dos meus projetos e sou capaz de questioná-los até o último momento.

Conte-nos um pouco sobre seus novos projetos…

– Tenho a sorte de trabalhar em equipe e em harmonia com meus clientes. Um bom projeto é resultado de uma estreita cooperação, baseada na confiança e na paixão. Estou trabalhando em novos projetos que estão em gestação e em estado avançado.  Em outubro na feira especializada sobre cerâmica indústrial em Cersaie, em Bolonha, vou apresentar uma nova gama de cerâmica para arquitetura e o Design Center RBC, em Montpellier, vai organizar uma exposição dedicada ao meu trabalho. Em seguida, vou apresentar durante algumas feiras em Paris, Milão e Colônia, novos modelos de cadeiras. Também trabalho em vários projetos de espaços comuns, como um restaurante nos Champs Elysées e a abertura de novos hotéis.

Com o que você sonha?

– Em retardar o tempo…

www.patricknorguet.com

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®