Pissarro

4 de Maio de 2017

Pintor impressionista, Camille Pissarro é homenageado até 09 de julho no Museu do Luxemburgo, em Paris, com uma bela exposição batizada de “Pissarro em Eragny, reencontro com a natureza”, em tradução livre. Esta é a primeira grande retrospectiva apresentada em 35 anos na França, que se concentra nos últimos vinte anos de vida e criação do pintor, um período desconhecido, mas rico em bonitas aquarelas, desenhos e gravuras. Camille Pissarro era um dos pintores mais cativantes do grupo dos impressionistas e tinha como hábito colocar o seu cavalete na zona rural da Normandia para pintar as pequenas estradas, os vales, a mudança das estações, o trabalho nos campos e os agricultores.

 

Em 1884, o pintor aluga uma casa de campo em Eragny-sur-Epte na região da Picardia, onde ele poderia acolher sua esposa e seus oito filhos. Em 1892, quando Camille Pissarro estava em Londres, sua esposa, Julie, visita Claude Monet para lhe pedir um empréstimo, que o pintor lhe acorda, permitindo à família Pissarro mudar para uma casa maior. Enquanto Monet transformou seu pequeno jardim em Giverny num reflorestamento do Éden, Pissarro com a ajuda de sua esposa mantém a sua propriedade como uma fazenda com animais, produzindo frutos, legumes e até mesmo cereais. Para Pissarro, o campesinato é a oportunidade de pintar um universo bucólico, às vezes ingênuo, mas sobretudo cativante, onde a paisagem simbolizava a vida e a beleza com alguns canteiros floridos ao redor da sua grande casa ou em torno dos campos. Camille Pissarro escreveu a seu filho: “Sou feliz quando estou com todos vocês em Eragny, tranquilo e sonhando com o meu trabalho…” Eragny continua a ser uma fonte inesgotável de inspiração para o pintor com seus inúmeros panoramas, tendo na natureza, na vida simples e nas paisagens que evocam uma certa felicidade. Pissarro pinta o que ele vê da janela do seu estúdio: flores, pés de maçã, casas vizinhas, o campanário da igreja…

 

É surpreendente pensar que o jardim de Monet e a fazenda de Pissarro seguiam o curso do mesmo rio, o Epte, atravessando a paisagem de Eragny até Giverny antes de desaguar no Sena em torno do vilarejo de Vernon. Esta exposição “Pissarro em Eragny, reencontro com a natureza” oferece um magnífico panorama das últimas duas décadas da existência de Camille Pissarro e a oportunidade de se extasiar na frente dessas pinturas tão brilhantemente retratadas, que evocam um desejo de escapar da cidade e ir para o campo. A exposição foi inaugurada com a chegada da primavera quando a natureza explode como numa pintura impressionista!

TEXTO – Chantal Manoncourt 

IMAGEM © The Israel Museum, Jerusalem – Danemark, Charlottenlund © Ordrupgaard Museum – Foto Pernille Klemp – Estados Unidos, A Millenium Gift of Sara Lee Corporation © The Art Institute of Chicago – Estados Unidos, Omaha, Nebraska © Joslyn Art Museum, Omaha, Nebraska – Coleção particular – Direitos reservados

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®