Rabih Geha

18 de Maio de 2017

“Não importa a escala do projeto, minha abordagem é sempre a mesma: contar histórias através de espaços e volumes”, confessa Rabih Geha. Com um diploma de Bacharel em Arquitetura pela Universidade Americana de Beirute (AUB) em mãos, Geha embarca para Paris para fazer um mestrado em arquitetura pela Escola Nacional de Criação Industrial (ENSCI). Para colocar em prática a parte teórica, o aprendiz de arquiteto trabalhou em Marselha e em Paris num dos vários escritórios da arquiteta francesa Odile Decq, onde aperfeiçoou suas aptidões em arquitetura e iluminação. Em 2006, Rabih Geha volta para o para o Líbano, seu país natal, para lançar um projeto experimental de pesquisa orientada por oficinas na ALBA – Design e Arquitetura da Universidade, em Beirute, com o intuito de desafiar a arquitetura de interiores e o design majors. Ainda no mesmo ano, Rabih Geha abre seu próprio escritório de Arquitetura e Design Rabih Geha Architects.

“Sou inspirado pela vida diária, pelas coisas que vejo na rua, pelos artigos que li em uma revista, jornal ou site, pelas pessoas que encontro ou ainda poderia ser uma visão ou um pensamento”, confessa Rabih Geha. “Não há uma pessoa ou coisa que poderia destacar como sendo uma grande influência e fonte de inspiração”, completa quando questionado sobre as prováveis interferências que recebeu ao longo de sua carreira. Já se passaram 11 anos desde a criação de sua agência e tudo parece servir de inspiração para induzir criatividade e energia às propostas de Rabih Geha Architects. “Na verdade, sou um contador de histórias e cada projeto tem sua própria narrativa”, atesta. “Costumo dizer que não temos uma fonte de inspiração, mas várias, no entanto, seguimos uma linha em comum que estrutura tudo o que fazemos, do volume ao espaço contemporâneo, do layout a um conceito que aborda os materiais, os elementos de design e os acabamentos com uma percepção acurada.

Para entender o que o arquiteto quer dizer sobre seu foco nessa efervescência criativa é preciso se colocar em seu lugar e perceber o espaço, a rua, o prédio sob uma ótica original “a fim de criar uma narrativa visual através do design e da arquitetura, garantindo ao mesmo tempo que tudo está em sintonia com a visão e as necessidades do cliente”, confirma Rabih Geha. É por isso que o arquiteto afirma que trabalha definitivamente com a intuição e não com o que é tendência e é sob essa perspectiva que todos os planos arquiteturais de Rabih Geha Architects são executados. “Afinal, o que é fascinante é a forma como a concepção é desenvolvida em multicamadas, através de decisões multifacetadas que se conectam a centenas de outros detalhes minuciosos, que eventualmente serão traduzidos em realidade”, filosofa Geha. “Cada projeto, seja uma elegante residência urbana, uma villa ou um bar, cada um deles tem sua própria identidade inserida num contexto particular. Para mim, isso pode ser chamado de propósito”, conclui esse arquiteto que se considera um artesão, um decorador, um criador, um designer. Tudo ao mesmo tempo.

Com visões tão diversificadas quanto o perfil dos seus clientes, Rabih Geha faz da diversidade sua disciplina de base em termos de design de interiores. Neste ano, sua agência trabalha com empreendimentos residenciais no projeto arquitetural conduzido por “Foster and partners”, em Beirute, além de constar em seu portfolio uma sala de ginástica “Off & On”, uma loja-conceito para “Mukhi Sisters”, a discoteca “Uberhaus”, o bar-lounge no topo do hotel “Four Seasons” são alguns dos projets desenvolvidos por Rabih Geha Architects. Quando questionado sobre o que o arquiteto considera ser seu projeto dos sonhos, Geha responde categórico: “Não tenho nenhum projeto dos sonhos, tudo o que almejo é contar histórias e tenho orgulho em ter feito parte de histórias emocionantes.”

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®