Saint James Paris

14 de Junho de 2017

Alojado numa das ruas adjacentes ao Arco do Triunfo, no 16º arrondissement, o hotel Saint James Paris, situado no ângulo de uma esquina com altos muros de pedra e um portão de ferro pode até passar despercebido para os menos atentos, mas basta observar sua entrada com sua exuberante fonte e fachada de castelo para se dar conta que o local é especial, em todos os sentidos. Construído no século XIX onde funcionava o primeiro aeródromo de Paris essa casa neoclássica acolheu por mais de um século a Fundação Thiers e agora recebe ilustres hóspedes, abrindo-se de forma teatral para uma propriedade burguesa com 49 quartos e suítes além de duas moradias e um spa Guerlain de tamanho boudoir com banhos turcos, salas de tratamentos para aliviar qualquer jetlag ou cansaço urbano.

O Saint James Paris é um desses hotéis pensados para os hóspedes que procuram a verdadeira experiência parisiense. Classicamente francês em todos os sentidos com suas exuberantes cortinas e banquetas revestidas de veludo vermelho na sala de jantar principal, a impressionante biblioteca com livros encadernados em couro e coquetéis refrescantes servidos no balcão, traduzem a essência do espírito do local, transportando o hóspede para um mundo que transcende o da hotelaria convencional.

A decoração é assinada pela designer de interiores Bambi Sloan que tem como predileção brincar com os estilos, misturando o clássico ao moderno de uma forma singular. O tema da diversão aparece onipresente e celebra com entusiasmo a identidade do local através do papel de parede com balões de ar quente nos elevadores, falsas e exóticas taxidermias nas paredes e carpetes de leopardo no restaurante gourmet. No espaçoso átrio, os balaústres e as colunas pintadas em preto e branco foram inspiradas nos trajes da Royal Ascot de Cecil Beaton para a versão cinematográfica de “My Fair Lady”, enquanto candelabros aparecem despencam do teto de forma teatral. Sloan guardou o essencial do passado da propriedade, harmonizando-o com uma estética banhada de design, criando um bombardeio de períodos de tempo decorativos e ideias que, de alguma forma, se fundem perfeitamente numa exposição impressionante para deleite dos olhos.

Ao ser registrado, o hotel dá ao hóspede uma chave e não um cartão eletrônico, a fim de que a experiência de se sentir em casa comece assim que as pesadas portas vermelhas se abram para exibir a decoração dos quartos. Cada um mais impressionante que outro e todos acolhedores, pensados individualmente para proporcionar o espírito de uma “casa personalizada” para os hóspedes. Temas como o Oriental, uma sala John Steed com tecidos de flanela, uma suíte “jardim de inverno” com teto superelevado em forma de claraboia de vidro, paredes espelhadas e plantas de hera que invadem a sala de jantar, enquanto os telhados parisienses são projetados em papel de parede, como pano de fundo de móveis de veludo. Para descobrir Paris e seus arredores, como um verdadeiro insider, uma BMW i3 elétrica pode ser reservada para quem almeja criar suas próprias aventuras.

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®