Sara Bliss

21 de Dezembro de 2016

Filha de uma equatoriana, designer e artista, a escritora Sara Bliss se acostumou com a alegre mistura de tonalidades, cores e materiais desde sua infância. Ela conta que sua mãe se divertia criando a identidade visual da residência familiar compondo a decoração com a riqueza cultural dos lugares que visitava. Muitos anos depois, quando Sara criou seu blog Hotel Chic para falar de lugares fantásticos e apresentar ideias sobre hotéis inspiradores, sua linha-mestra era a diversidade, o original e o inusitado na decoração. De tanto pesquisar sobre o assunto, nasceu o belo livro “Hotel Chic at Home”, lançado pela Monacelli Press, onde a autora partilha alguns dos seus hotéis favoritos ao redor do mundo com dicas decorativas inusitadas. Correspondance Magazine® conversou com Sara Bliss que nos segredou a arte de decorar a própria casa com as astúcias de um designer de interiores de hotéis.

Quanto tempo você levou para planejar a publicação do livro “Hotel Chic at Home”?
– Há cerca de cinco, lancei meu blog Hotel Chic, onde celebrava o fantástico design dos hotéis e dizia aos leitores como criar o visual do seu hotel favorito em casa. Sempre soube que seria tanto um belo livro como um guia para conhecer hotéis impressionantes, como uma fonte de inspiração de design para todo o mundo. Fiquei emocionada quando a editora Monacelli Press quis publicá-lo e ele ficou ainda mais bonito do que o que tinha imaginado.

Quais os passos que você seguiu para escrever um livro sobre o seu trabalho?
– Tudo teve início com os hotéis. Comecei a pesquisar hotéis globais com design exclusivo e dividi o livro em tipos de quartos, salas de jantar, espaços ao ar livre, entre outros. Em seguida, fui à procura das melhores imagens dos hotéis e assim pude construir cada capítulo. Finalmente, escrevi as legendas e o texto depois de fazer muita pesquisa sobre os detalhes específicos de design em cada fotografia.

Como você encontrou lugares e hotéis para incluir nesta publicação?
– Queria encontrar hotéis com ideias de design que poderiam ser facilmente recriadas em casa. Também fiquei realmente interessada em propostas originais, junto com aqueles que são mais acessíveis. O “Hotel Henriette”, em Paris, é um grande exemplo, a proprietária e designer Vanessa Scoffier utiliza a técnica de color-blocking, que considero totalmente original. Uma proposta que pode ser feita também em casa pelo preço de uma lata de tinta.

Qual é a parte mais gratificante de tudo isso para você?
– Penso que esta é uma forma realmente única de olhar para os hotéis, adoro que o livro tenha combinado dois assuntos realmente interessantes de uma forma leve. Já recebi comentários de pessoas que me disseram ter usado o livro para planejar uma viagem, enquanto outros o usam para redesenhar sua almofada.

Como urgiu o seu interesse pelo design de interiores? 
– Tudo começou quando eu era muito jovem, porque minha mãe é do Equador, uma designer de interiores e artista. Viajamos muito em família também e o resultado era que nossa casa tinha um monte de influências da decoração global e como minha mãe adorava misturar as coisas, ela via o design como algo divertido, uma experimentação permanente. Isso me fez pensar nele como algo leve e festivo, e comecei a não levá-lo muito a sério. Amo misturar elementos na decoração da minha casa, usando o que vejo e vi nos hotéis como uma fonte de inspiração constante.

Qual é o seu fato favorito sobre “Hotel Chic at Home” e por quê?
– É o primeiro livro que combina design e viagens.

Quais arquitetos ou designers você admira? 
– Zaha Hadid era uma mulher forte com uma ‘pegada’ poderosa e original na arquitetura. Sempre admirei seu trabalho.

O que você mais gosta no fato de ser uma escritora?
– Amo sempre aprender sobre coisas novas. Já escrevi livros sobre beleza, design verde, casamento e agora hotéis e design. É sempre emocionante mergulhar em um novo assunto.

Conte-nos um pouco sobre a pesquisa que você fez para o livro. O que era realmente importante para você inserir em “Hotel Chic at Home”?
– Durante anos escrevi matérias tanto sobre design como sobre a arte de viajar e isso me deu uma bagagem considerável para montar o livro sabendo muito sobre ambos os assuntos. De posse de todo esse material poderia incluir muitos hotéis sobre os quais escrevi, incluindo o “Colony Palms”, “Malliouhana”, “The Connaught”, entre outros. Michele Bonan, Mary McDonald e John Robshaw são designers sobre os quais escrevi há anos e fiquei emocionada quando eles concordaram em aparecer no “Hotel Chic at Home.” Também gostei de descobrir novas propriedades, incluindo o “Canal Huis 58”, “Hoxton Amsterdam” e os hotéis “Lark”, juntamente com os novos designers de hotéis que admiro como Vanessa Scoffier, Blake Pike, Dorothée Meilichzon e Ken Fulk.

Se as pessoas pudessem escolher apenas um ponto importante sobre “Hotel Chic at Home”, ou sobre design em geral, o que você gostaria que fosse?
– Gostaria que as pessoas se divertissem mais com seus projetos decorativos! Quando você leva o projeto muito a sério, você acaba tendo quartos na cor bege. Para “Hotel Chic at Home”, escolhi hotéis com espaços arrojados e criativos, então há um monte de ideias de design para poder brincar enquanto se folheia as páginas do livro. Tem de tudo, de tetos estampados a tapetes pintados.

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®