“The New Paris”

2 de Julho de 2017

Nativa da Filadélfia, a americana Lindsey Tramuta aterrissou na Cidade Luz há dez anos como estudante de literatura francesa, fez seu mestrado na Universidade Americana de Paris e casou-se com um francês. Vivendo e trabalhando na cidade desde então, Tramuta escreve para publicações internacionais como The New York Times, Condé Nast Traveler, Afar Magazine, entre outros, desde 2011, e seus artigos versam principalmente sobre a cultura e o estilo de vida francês. “Também tive a oportunidade de trabalhar no segundo livro com o time do programa de compartilhamento de bicicletas parisienses, as “Velib’s”, administrado pela Mairie de Paris”, conta. “The New Paris: The People, Places & Ideas Fueling a Movement” é o meu primeiro projeto solo”, uma publicação em língua inglesa, lançado pela editora Abrams com belas imagens da fotógrafa Charissa Fay.

Correspondance Magazine® conversou com a jornalista para descobrir como ela encontrou tantas ideias, pessoas e lugares para apresentar ao público internacional essa “Nova Paris”. “Na verdade, tinha meus próprios pensamentos sobre o que estava alimentando esse movimento espirituoso, ainda assim fiquei fascinada com o que os outros parisienses tinham a dizer”, confessa a autora. “Apesar de seus diferentes antecedentes, quase todos com quem falava tinham a impressão de que Paris está se tornando cada vez mais diferente… espero que meu livro “The New Paris: The People, Places & Ideas Fueling a Movement” possa levar os leitores a apreciar essa nova identidade parisiense”, conclui Lindsey Tramuta.

Quanto tempo você demorou para planejar seu livro “The New Paris: The People, Places & Ideas Fueling a Movement”?

– Do início ao fim, este foi um processo que durou dois anos, entre proposta, garantia de um agente, venda do conceito, assinatura com editor, pesquisa, redação, edição, layout e promoção. A jornada foi bastante longa!

Quais foram os passos que você seguiu para preparar esse livro? Conte-nos um pouco sobre a pesquisa que você fez para este projeto sobre Paris.

– Este livro realmente explora o espírito único e dinâmico da cidade atualmente, de uma forma que se desvia do que geralmente é escrito sobre Paris, como cidade turística. Minha pesquisa durou vários meses e me levou a conversar com os habitantes e os locais em vários campos criativos, chefs, crafters, fabricantes, líderes de pensamento, inovadores e expatriados, afinal, a combinação de todos eles compõe a energia da cidade. Falei com eles sobre as mudanças que eles observaram em Paris e pedi-lhes que me dissessem o que, segundo eles, está conduzindo a cidade a todas essas mudanças. Em alguns casos, também encontrei líderes da indústria de chocolates e pastelaria para entender concretamente o que evoluiu nos últimos anos, porque nem sempre é óbvio para os viajantes ou mesmo para os locais destacarem imediatamente essas mudanças. No geral, passei horas e horas falando com pessoas, transcrevi entrevistas e juntei as peças para formar uma visão coesa de uma cidade em movimento.

O que era importante para você mostrar para os leitores?

– Queria mostrar através desse livro o quanto é real e verdadeiramente genuína a identidade de Paris, que supera todos os clichês. Um lado da cidade que eles podem perceber se dedicarem tempo para descascar as primeiras camadas, porque é lá, que a beleza edificante realmente se encontra. Trabalhei com a fotógrafa Charissa Fay, que conhece muito bem Paris, mas não estava acostumada com os lados da cidade com os quais estava documentando. Ela se aproximou da cidade com um olhar romântico, que criou uma narrativa visual bonita e inspirante em todos os sentidos para o enriquecimento da publicação.

Como você encontrou lugares, pessoas e ideias para incluir nesta publicação? Por onde você começou?

– Conheço a maior parte das pessoas e lugares que incluí no livro, quer através do meu trabalho como jornalista ou através das minhas incursões pela cidade, seja lendo a imprensa francesa ou falando com amigos. Dessa forma, tive a sorte de ter uma rica base de personalidades e lugares para colocar no livro, antes mesmo de iniciar o projeto.

Qual foi a parte mais gratificante de tudo isso para você?

– Dado o trauma da cidade com os ataques terroristas nos últimos dois anos, essa publicação chega num momento em que a confiança da população e dos franceses em geral está se recuperando, mas ainda há muito trabalho a ser feito. Hoje, quando olho para este livro, vejo-o como uma ode à cidade e às pessoas criativas, muito mais do que tinha percebido quando comecei a escrevê-lo. Para mim, esse é o presente com o qual me envolvi apaixonadamente e estou orgulhosa da maneira como capturei esse momento incrível que faz parte da história da cidade.

Qual é o seu fato favorito sobre “The New Paris: The People, Places & Ideas Fueling a Movement” e por quê?

– Que esse movimento continue evoluindo diante de nossos olhos! Documentei um momento-chave na história da cidade, mas os chefs com os quais discuti, os lugares que caracterizamos, os crafters que colocamos em destaque, continuam a inovar e a escrever o próximo capítulo desta “Nova Paris”.

Como você explica seu amor por Paris? Qual é o seu interesse particular por esta cidade, além do fato de ser casada com um francês?

– Adoro sua essência e seu glamour, sua população opinativa, apaixonada e vibrante, e o acesso à cultura – gastronomia, arte, música, qualquer que seja a nomeação que seja dada para isso – que temos na palma da mão. Adoro poder caminhar pelos bairros e sentir sua história, sabendo muito bem que sua biografia continua viva, embora esteja mudando. É a cidade onde me tornei adulta, então, meu ponto de vista é muito pessoal, além disso, é o lugar onde construí minha vida romântica e profissional em seu contexto mais profundo.

Se as pessoas pudessem considerar apenas um ponto importante sobre o seu livro “The New Paris: The People, Places & Ideas Fueling a Movement”, o que você gostaria que fosse?

– Paris é muito mais que seus monumentos, os grandes bulevares e a arquitetura Haussmanniana. Exorto as pessoas a mergulharem mais profundamente para imaginar um sentido real para a capital francesa. Acredito que esse livro pode ajudá-las a começar a desbravar essa nova aventura!

IMAGEM – Charissa Fay

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®