Virginie David

8 de Dezembro de 2016

virginie-david-joaillerie-paris

“Sempre acreditei que desenhar joias era o meu destino”, confessa Virginie David. Depois de ter vivido durante anos uma carreira de sucesso na área de comunicação internacional para grandes lojas de departamentos e marcas de luxo em Dubai, Paris e Londres, Virginie decidiu seguir sua intuição e apostar no seu potencial criativo. Para agregar um toque de elegância às suas criações sob medida, a designer de joias investiu em pesquisa e incorporou a ciência das pedras preciosas, conhecimento adquirido em parte em cursos de gemologia e quando acompanva seu pai em viagens pela Ásia. Jacques David, importante negociante e especialista renomado no assunto, a ensinou a reconhecer e avaliar tudo o que brilha com o intuito de agregar valor aos modelos imaginados por Virginie.

          “A designer de joias Virginie David desenha suas criações como verdadeiras obras de arte explorando seu conhecimento das pedras preciosas para desenhar peças únicas”

Em seu atelier parisiense, situado no epicentro das grandes joalherias, Virginie David diz se divertir imaginando criativos desenhos para oferecer aos clientes opções singulares de anéis à alianças de noivado e casamento, braceletes, brincos ou ainda dar uma nova vida às joias de família. Consideradas “obras de arte únicas” algumas modelos podem levar várias semanas ou meses para serem criadas. Para falar sobre o que a inspira nesse mundo mineral e sobre suas criações exclusivas, Correspondance Magazine® conversou com a designer parisiense no coração da Place Vendôme.

Fale-nos um pouco sobre o seu processo criativo.

– Escuto a história das pessoas e me aproprio dessas informações para propor minhas criações. Muitas vezes, o cliente herdou uma joia antiga e não sabe como utilizá-lo ou não se identifica com o modelo. Depois de analisar a peça, faço algumas sugestões de modelos e, quando minha proposta é aceita, procedo com as alterações. Como, por exemplo, um anel de herança que pertencia à avó que se transforma numa joia moderna ou numa aliança de celebração de um evento, um pingente que pode ser renovado em ouro com brilhantes, um bracelete esculpido com pedras preciosas, enfim, as possibilidades criativas são quase infinitas…

Qual é a simbologia das joias para você?

– Para mim, uma joia é um dos enfeites mais femininos e um ângulo sob o qual as mulheres são observadas, examinadas, admiradas. Uma joia diz muito sobre quem a está usando, é possível discernir, na verdade, o temperamento e a personalidade de uma pessoa. Usar uma joia é um ato revelador.

Como é que você imagina seus modelos?

– Sigo a minha intuição, baseada nas conversas que tenho com o cliente, e na análise visual do que percebo através da comunicação não verbal. Não é fácil explicar. Sou muito intuitiva mas o processo criativo é muito mais complexo e, em alguma parte, quem reina ainda é um certo mistério que se apodera das minhas ideias.

Onde você busca inspiração para criar suas joias?

– Na realidade, sou inspirada pela vida, pelas pessoas e pelo conhecimento que adquiri com gemologia. Afinal meu trabalho é de desenhar peças únicas e, sobretudo, proceder a uma seleção especializada das pedras preciosas que é a base de tudo.

Sendo filha de um especialista em pedras precisosas, qual a sua relação com esses minerais?

– Gosto de criar e de apresentar minhas propostas contando a história de uma pedra, evocando sua qualidade, sua lapidação, sua luminosidade, seu simbolismo. As pedras preciosas estão no centro da minha criação, é com elas que desenho o cróqui de uma peça, desenvolvendo todo um universo povoado de safiras, diamantes, quartzos, esmeraldas, brilhantes que vai marcar um evento especial na vida de quem a incomendou.

O mundo das joias pertence ao mundo luxo. Como você se posiciona nesse universo?

– Sou extremamente exigente comigo mesma para fazer parte dessa órbita que gira em torno do luxo. Um domínio onde tudo, exceto a perfeição absoluta, deve ser descartado. Decidi assumir essa atividade de designer porque acredito que o verdadeiro luxo é algo raro e não diz respeito a preços elevados ou chamar a atenção apenas para o exotismo das formas. Luxo é poder ter uma joia que foi criada sob medida para celebrar uma ocasião especial.

O que o luxo significa para você?

– É ter tempo para desenhar, criar, sonhar!

www.virginiedavid.com

 

 

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®