Palazzo Daniele

8 de julho de 2021

A paixão pela arte, pela história e pelo sul da Itália não apenas os uniu, mas trouxe o Palazzo Daniele de volta à vida como um testemunho vivo desse encontro. Estava escrito no destino que Gabriele Salini e Francesco Petrucci acabassem se sentindo tão atraídos um pelo outro. Ambos têm uma forte ligação com o sul da Itália: Salini, um romano, tem uma casa de família à beira-mar na Puglia, onde passa os verões desde criança, enquanto os Petrucci chamam Puglia de casa há quatro gerações. Os dois foram educados formalmente, com o objetivo de seguir uma carreira tradicional. Salini estudou administração, Petrucci formou-se para ser advogado. Ambos abandonaram seus caminhos convencionais para empreendimentos mais criativos.

Mas talvez o mais simbiótico seja o forte papel que a arte desempenha em cada uma de suas vidas; na verdade, ela uniu os dois: Salini é um colecionador e proprietário do hotel G-Rough, em Roma, e agora o Palazzo Daniele, em Puglia, fazem parte de seu GS Coleção de hotéis, que se destacam por seus diversificados trabalhos de expressão criativa. Petrucci, por sua vez, é o diretor de criação do rico Palazzo Daniele, bem como do festival Capo d’Arte em Puglia, aclamado internacionalmente, onde os dois acabaram se encontrando.

A amizade de vocês foi forjada pelo amor pela arte e em que momento surgiu a ideia de criar o Palazzo Daniele?

Francesco Petrucci: Nós nos conhecemos há cerca de 10 anos por meio da primeira mostra de arte que eu estava organizando. Gabriele veio, começamos a falar sobre arte e não paramos!

Gabriele Salini: Palazzo Daniele era a casa da família de Francesco. Quando ele arregaçou as mangas para sua reforma completa, tive a ideia de transformarmos esse palácio em um hotel. Sempre aprecio lugares que contem uma história e, como G-Rough, o Palazzo Daniele tem a história perfeita. Ambas as propriedades começaram não como hotéis, mas simplesmente para acolhermos convidar nossos amigos criativos – fotógrafos, designers, curadores de artistas, músicos – para ficar conosco. Foi como abrir uma porta para nossa comunidade e é isso que quero. Não estou interessado apenas em um “hotel de arte” como conceito. quero manter essa sensação de comunidade criativa para meus convidados. Assim como Francesco, adoro trabalhar com artistas!

Francesco, você é um viajante cosmopolita, mas agora vive longe de uma cidade, em um pequeno vilarejo. Como isso aconteceu?

Francesco Petrucci: Para mim, tudo mudou em 2009, quando voltei para a Itália depois de passar 10 anos no exterior. Não sabia onde morar, então decidi vir para o vilarejo onde minha família tinha o Palazzo. E eu trouxe todos os meus interesses comigo, inundando minha casa com pessoas da indústria criativa. Primeiro, era apenas hospedar amigos artistas. Em seguida, evoluiu para exposições. O bom é que todas as galerias, artistas e curadores que nos emprestaram suas obras – primeiro no Palazzo e depois para o festival Capo d’Arte – estavam em um nível muito alto. O resultado tem sido muito bom para o vilarejo e para a comunidade.

Conte-nos mais sobre esse impacto na comunidade.

Francesco Petrucci: É interessante porque quando começamos o Capo d’Arte há 10 ou 11 anos, não havia literalmente nada nesta parte da Púglia em se tratando de arte contemporânea. Era uma tela em branco!

Gabriele Salini: Hoje a comunidade conhece Capo d’Arte e Palazzo Daniele e os aprecia bastante. Historicamente, as pessoas aqui sempre se sentiram abandonadas, fora do mapa. Mas agora há histórias sobre o Palazzo Daniele que estão aparecendo no The New York Times, Forbes e em outros lugares, e eles deram a esta parte da Púglia e à comunidade em especial uma exposição mundial. Os habitantes locais se tornaram o centro das atenções, vibram com as novidades e se sentem famosos novamente!

O melhor ainda está por vir …

Francesco Petrucci: Sim e tem sido interessante ver a evolução das reações das pessoas ao Capo d’Arte e ao Palazzo Daniele. No começo houve uma espécie de choque. Éramos apenas esses esquisitos vindo da cidade fazendo coisas estranhas! Agora os moradores estão acostumados a hospedar e interagir com artistas e criativos da cidade de Nova York, Londres, Berlim. Recentemente, estávamos fotografando um artista e os moradores nos convidaram para tomar um café com eles. Eles estavam super felizes por ter um artista em seu bar.

Reportagem Especial Correspondance Magazine®

IMAGEM – Cortesia do Palazzo Daniele © Todos os direitos reservados

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®