Georges Mohasseb

6 de Dezembro de 2019

Foi uma encomenda, feita por uma galeria durante a feira “Arti-show”, de uma de suas primeiras criações, a cadeira “Beaubourg”, que o designer libanês Georges Mohasseb percebeu que havia um potencial para trabalhar nessa direção criativa. Ao longo de sua carreira, ele passou a experimentar diferentes materiais e texturas que o levou a consolidar seu sonho de empreender projetos ligados à expressão artística. Com o diploma de arquitetura em mão, Mohasseb se entregou ao processo criativo. “Na minha linha de trabalho existem duas abordagens: a primeira é quando você é contratado para criar uma peça especial, como uma mesa de jantar, uma unidade de ilha-bar, uma iluminação etc., sempre começo fazendo modelos de argila para explorar a direção e entender as proporções, o aspecto dentro do espaço a ser integrado e, finalmente, os materiais certos para minhas criações sob medida, em sua maioria peças únicas ou em edições limitadas,” conta. Na outra mão do processo existe a coleção que exige uma mentalidade diferente, e isso se deve, em certa medida, ao luxo do tempo a fim de que o designer possa fazer mais pesquisas, mais experimentos e, no final, ter uma coleção homogênea. No final, tudo é exercício e há sempre um objetivo constante: conseguir estabelecer no mercado criações atemporais.

Quando questionado sobre as escolas e os movimentos artísticos e arquiteturais do passado que ele admira e o influenciam, o designer se entusiasma ao citar a Era Bauhaus como referência, graças à sua combinação de artesanato e artes plásticas, aliando o ensino e a publicação desse universo do design como uma única disciplina. “No meu trabalho, sou muito influenciado por Carlo Scarpa, que conseguiu romper com o protocolo da academia e ainda criou esses projetos incríveis. Anish Kapoor e Brancusi são artistas incríveis com personalidades atípicas que desafiaram a ordem estabelecida e, basicamente,  romperam com o senso comum, extrapolando o seu potencial criativo. Todos eles me inspiram bastante.”

Tendo como mestres esses infatigáveis artistas, o designer não se permite ter rotina, “caso contrário, ficarei apenas sentado atrás da minha mesa o dia todo.” Durante o dia, preciso de um momento de silêncio por cerca de 30 minutos para me reconectar comigo mesmo, avaliar e escrever resumos de pensamentos, emoções e novas ideias”, confessa. São esses momentos de reflexão que ajudam o designer a desenvolver a narrativa de todas as peças, esse comprometimento com seu interior transborda em criatividade, que tornam suas peças únicas, porque todas foram envolvidas no mesmo processo de atenção aos detalhes.

Como um criador dos tempos modernos, Georges Mohasseb tira partido de uma interação qualitativa com a tecnologia, trabalhando com impressões em 3D e explorando um novo projeto e software de imagem 3D. O designer confessa que essa colaboração entre artesanato e tecnologia é benéfica, “porque possibilita ir e voltar da placa de desenho para a área de trabalho e retornar ao trabalho para fazer ajustes, ou considerações, quando necessário.” Essa familiaridade com a tecnologia foi uma pausa em sua carreira de designer, entre 2005-2006, quando voltou a ser consultor de software e desenvolvedor de negócios. “Obviamente essa fase não durou muito tempo mas foi muito enriquecedor para minha carreira e fortaleceu minhas convicções quando retomei os trilhos do mundo criativo…”

A experiência de repensar sua carreira como designer marcou Georges Mohasseb e conhecedor dos reveses da profissão e de posse dessa experiência de vida profissional, as recomendações que ele dá aos jovens aspirantes do universo do design é direto e claro: “seja apaixonado pelo que você faz e não tenha medo de pular na água,” como meu professor sempre dizia. “O artesanato e a vida artística estão cheios de emoção que se traduz em expressão, por isso, não seja muito duro consigo mesmo, mostre boa vontade e gratidão. Sempre.” Conselhos que parecem ter dado resultado para esse talentoso designer, que tem várias de suas criações na exposição Spiral – Cycle of Life apresentada na Galerie Gosserez, até 21 de dezembro de 2019.

EDIÇÃO DE TEXTO – Marilane Borges

IMAGEM – Cortesia do designer Georges Mohasseb e da Galerie Gosserez © Todos os direitos reservados

 

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®