Simplificando a vida

16 de dezembro de 2020

Li A Mágica da Arrumação, de Marie Kondo, no ano passado. É um ótimo livro que vai além de organizar e simplificar sua vida. É mais do que viver uma vida minimalista e possuir menos coisas. Você pode aplicar as lições à produtividade, aos relacionamentos e à vida social, à gestão do dinheiro e a muitas outras áreas da vida. É fazer mais com menos. Basicamente, trata-se de libertar sua vida.

Ter menos libera não apenas espaço, mas também sua mente, permitindo que ela se concentre nas coisas que importam. Os seres humanos são colecionadores por natureza. E, no entanto, existem tantas coisas as quais nunca mais precisaremos. Notas da faculdade? Roupas velhas que não usamos mais? Utensílios de cozinha que podem ser inúteis? Você realmente não precisa dessas coisas.

Há uma ótima citação no livro que ponderei por muito tempo: “Não se trata do que descartar, mas do que guardar.” Demorou um pouco para que essa informação fosse processada, mas mudou literalmente a maneira como vejo as coisas. Max Planck disse isso da melhor maneira: “Quando você muda a maneira como você vê as coisas, as coisas que você vê mudam.” Quando você guarda apenas as coisas que ama, você é repentinamente inundado de alegria ao longo dos dias.

Criei um exercício simples para me ajudar a descobrir quais coisas realmente me trazem alegria.

Etapa 1: saiba o que você ama. Pegue uma caneta e papel. É aqui que você vai listar tudo o que você ama. Descobri que é mais fácil começar com as coisas, depois o trabalho e deixar o lazer para o fim.

Na primeira página, escreva “Coisas” no topo. Agora comece a listar tudo o que você possui e que ama. Podem ser roupas, gadgets, coleções, etc. Tudo o que você possui que é físico e traz alegria a cada vez que você o usa. Não saia procurando coisas para amar. Apenas escreva o que vier à mente.

Aqui está um trecho da minha lista como exemplo:

MacBook Pro (tudo em um Mac simplesmente “funciona”)

– Guitarra (nunca me decepciona)

– Camisa Green Boss (sempre recebo elogios)

– Sapatos Blue Asics (sério, eles são ridiculamente confortáveis)

– Fones de ouvido Bose (com cancelamento de ruído verdadeiro)

– Cama gigante e confortável (comprei uma em abril do ano passado, tenho dormido muito melhor desde então)

Tenho mais itens na lista. Para você, isso pode significar aquele livro que você ama, ou as leggings incríveis que são superconfortáveis, ou sua carteira. Escreva seus favoritos. Em seguida, repita o exercício para trabalho e lazer. No trabalho, liste tudo o que você ama no que faz. Podem ser tarefas, lugares, colegas, coisas, etc.

Lazer se refere às atividades que você realiza no seu tempo livre. Adoro assistir a shows, ir ao cinema e jogar futebol com os amigos. Se quiser, você também pode adicionar amigos ao mix.

Salve a página 2 para “Trabalho” e a página 3 para “Lazer”.

Escreva essas 3 páginas. Continue lendo quando terminar.

Etapa 2: remova o que você não faz. É hora de saber o que está bagunçando sua vida.

Aqui está o segredo: tudo o que você não escreveu em nenhuma dessas listas não lhe traz alegria. Alguns podem tornar sua vida mais fácil (ou pelo menos não complicá-la), mas não trazem felicidade. Se o fizessem, estariam na lista. Para ser bem claro: isso não significa que você odeie todo o resto. Significa apenas que essas coisas não lhe trazem alegria. E essas são as coisas que você deve remover de sua vida.

Para coisas: venda, doe ou jogue fora.

Para o trabalho: você pode delegar ou excluir o que você odeia? Para tarefas temidas, encontre uma maneira de automatizar ou delegar. Se forem reuniões (quem adora reuniões, afinal?), tente perguntar ao seu chefe se sua presença é necessária, diga não ou agende algo crítico logo depois. Para coisas, consulte os conselhos sobre o item.

Para o lazer: como você pode ter mais daquilo que você ama? Talvez você pudesse marcar uma noite entre amigos ou com seu melhor amigo toda semana. Ou inscrever-se em um boletim informativo para obter notícias sobre os melhores programas da cidade. Ou você pode entrar em um clube para voltar a praticar tênis ou outro esporte.

É isso aí. Não há etapa 3.

Este exercício parece simples demais para ser verdade. E, no entanto, se lenta e continuamente você começar a ter e fazer apenas as coisas que ama, você acabará mais feliz do que nunca. Cerca de 1% das pessoas já entendeu isso há muito tempo: o segredo do gênio não é a complexidade, é a simplicidade. E aqui estão alguns benefícios adicionais:

Tempo: ou seja, menos manutenção das coisas do dia a dia, significa que você vai ganhar mais horas por semana. A regra é simples: menos coisas, menos limpeza; além de muito mais espaço para as coisas que você realmente ama.

Estresse: chega de agendas sobrecarregadas, pois você excluiu tarefas desnecessárias e sem importância; todos os dias você pode apenas as usar roupas que ama (imagine só!).

Melhor saúde: a organização e o espaço livre acalmam sua mente e trazem clareza; melhora sua memória, pois você tem menos coisas para lembrar, menos obrigações para carregar no cérebro.

Liberdade: as coisas não são mais donas de você, você só possui as coisas que ama. Tenha menos. Faça menos. Elimine excessos e coisas. Simplifique e você vai se surpreender com o quanto se sentirá realizado…

TEXTO – Dan Silvestre

IMAGEM © Anna Meshkov © Daniel Korpai © Gabriele Diwald © Jess Bailey © Mille Sanders © Sarah Dorweiler © Todos os direitos reservados  

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®