Intervenções poéticas

12 de julho de 2022

A Royal Incorporation of Architects in Scotland (RIAS) nomeou os oito edifícios para ganhar os prêmios nacionais de arquitetura da Escócia. Esquemas de arquitetos como Reiach and Hall Architects, Konishi Gaffney, Sonia Browse Architects e Moxon Architects foram escolhidos em uma lista de 14 finalistas.

Os projetos vencedores variam de uma nova escola secundária a um prédio de escritórios rural na periferia da propriedade de Balmoral e estão espalhados por todo o país. Eles também incluem o retrofit de Loader Montieth da icônica casa de High Sunderland, de 1957, de Peter Womersley, em Galashiels.

O Prix COAL, dedicado em 2022 ao tema dos oceanos, foi destinado à Marina Gioti. O seu projeto, “Sounding the Silent World”, pretende explorar o estado passado e presente dos naufrágios e navios abandonados, a sua presença e materialidade de forma a ativar um discurso e especulação sobre o seu futuro.

O artista escolheu como estudo de caso o sítio arqueológico de Eleusis, a oeste de Atenas. Antigo santuário e centro ritual, a cidade litorânea, que se tornou um centro industrial, agora esconde em seu abismo um verdadeiro cemitério marinho.

Binta Diaw é uma artista senegalesa e italiana nascida em 1995 em Milão, Itália, onde vive e trabalha. A sua obra apoia-se na tradição, na memória e na forma como se inscreve no corpo, em particular nos antepassados ​​africanos submetidos à colonização.

O júri do Prix Pujade-Lauraine foi particularmente seduzido por sua série “Dïàspora”. O projeto, composto de elegantes fotografias em preto e branco, representam fragmentos de corpos femininos negros, nas quais Binta Diaw desenha com giz tranças.

Esses desenhos lembram os cabelos de mulheres africanas que, quando reduzidos à condição de escravas, trabalhando nas fazendas e longes do seu destino, incorporaram em suas tranças sementes de seu próprio país.

Kim Dacres é um artista visual e escultor jamaicano-americano nascido no Bronx que vive no Harlem. Ela usa pneus encontrados e borracha de automóveis e bicicletas para criar esculturas de ideias e pessoas importantes em sua vida e comunidade.

Alex Strada e Tali Keren são artistas e educadores sediados em Nova York que trabalham juntas desde 2016. Por meio de intervenções poéticas em espaços culturais e documentos legislativos, elas questionam a construção de narrativas hegemônicas e abrem espaços para a imaginação política e a releitura cultural.

Na obra mais recente de Jeffrey Meris, o artista faz a transição do trauma do projeto colonial em suas esculturas para a cura e restauração dessas feridas em suas pinturas…

Reportagem Especial Correspondance Magazine®

IMAGEM – Cortesia dos artistas e instituições © High Sunderland, Galashiels, United Kingdom by Loader Monteith © Dapple Photography © Marina Gioti, Sounding the Silent World, 2022 © Marina Gioti © Binta Diaw, Paysage corporel III, series Dïàspora, 2021. Chalk drawing on pigment print on fine art paper. 21 x 31,5 cm © Binta Diaw © Kim Dacres, Grace, 2021. Auto tires, bicycle tires, wood, screws, spray paint, bicycle chains (24.5 x 7.5 x 10 in, 24lbs) © Max Yawney © Jeffrey Meris © Todos os direitos reservados

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®