Lar caliente

20 de Junho de 2020

Quando a editora Natalia Swarz e seu marido, o artista Armando Mesías, se mudaram do litoral de Barcelona para o bairro mais legal de Madri, Chueca, o casal tinham uma certeza: queriam trazer as vibrações calorosas com eles. “Queríamos que nossa casa parecesse um refúgio do Mediterrâneo no meio do centro da cidade”, diz Natalia, fundadora do site de viagens e da loja Hôtel Weekend e editora de conteúdo da marca de moda espanhola Loewe. Vindos de Cali, na Colômbia, o casal observa que suas raízes latinas estão sempre presentes em sua filosofia de estilo de vida e design. “Temos uma rede pendurada na sala, feita por Verdi na Colômbia, alguns desenhos de palmeiras emoldurados nas paredes, e a trilha sonora é sempre música de Cali, Cuba ou de algum lugar da América Latina,” explica Natalia.

Mova as coisas para manter sua mente em movimento também. “Cresci mudando de casa todos os anos, porque minha mãe gostava de se mudar para redecorar a nova casa de uma maneira diferente”, lembra Natalia. “Quando estávamos entediados, mudávamos todos os móveis para criar um clima totalmente diferente.” Como o apartamento atual dela é pequeno, eles não podem mover os móveis, mas movem a arte e as decorações para manter as idéias fluindo e evoluindo.

O calor desses elementos latinos é compensado pela decoração mínima em wabi-sabi do apartamento. Como a estética japonesa foi uma inspiração recorrente para o casal, eles ficaram entusiasmados ao saber que a reforma do apartamento foi feita por Iker Ochotorena, da OOAA Arquitectura. “O estilo dele é muito minimalista, mas não de uma maneira insípida. As cores neutras das paredes e pisos contrastam com os detalhes pretos, que amamos”, diz Natalia. O estilo de assinatura de Iker incorpora linhas arquitetônicas distintas, uma paleta neutra e texturas naturais como madeira e pedra. Bem no espírito do wabi-sabi, seus interiores se concentram na autenticidade e, portanto, promovem uma sensação de tranquilidade através do design simples.

Outra dica partilhada por Natalia diz respeito a fazer com que seus convidados se sintam em casa. Esta é a maneira colombiana de receber, algo que a filosofia wabi-sabi enfatiza como uma de suas características fundamentais na criação de uma casa. Esteja sempre pronto para oferecer aos hóspedes chás, lanches ou petiscos. Natalia e Armando cumprimentam os hóspedes oferecendo-lhes com seus próprios chinelos quando eles chegam, para que realmente se sintam em casa. “O livro Wabi-Sabi Welcome pode guiar você com mais dicas”, sugere Natalia.

A sala de jantar, cozinha e sala de estar são um grande espaço comum, totalmente aberto. Ao longo da parede está a mais recente instalação de colagem de Armando. “Ele começou a desenvolvê-lo quando o isolamento  começou e continuou a desenvolvê-lo como um diário de nosso tempo e das experiências juntos durante o confinamento”, conta Natalia. A luminária pendente é da loja local Rue Vintage. “Uma das minhas peças favoritas é este presente de Natal de Armando”, diz Natalia falando da fotografia publicada em edição limitada e clicada por Bert Stern com a imagem de Jane Birkin e Serge Gainsbourg. “É um bom lembrete para mantê-lo em casa.”

As reforma desse apartamento lembra a disposição remanescente de um spa moderno. “Vivemos em uma rua principal muito movimentada, então queríamos que fosse um retiro tranquilo dentro de nossa casa”, observa Natalia. Esse tom é definido assim que os convidados entram no espaço: o casal implementou uma política de não usar sapatos no apartamento, para que os hóspedes sejam sempre recebidos com um par de chinelos. Diferentes aromas de velas enchem o ar em cada quarto, e a experiência semelhante ao spa é ecoada nos banheiros, onde várias folhas de eucalipto estão amarradas aos chuveiros. “Também tenho uma obsessão por pincéis, vassouras e esponjas naturais, que compramos na minha loja favorita em Madri, González & González”, diz Natalia.

O quarto é o único espaço da casa que onde não entra tecnologia, o que os ajuda a cumprir seus critérios que se harmonizam perfeitamente com o ambiente zen. Outra dica para renovar a energia ambiente e manter sua mente em movimento é mudar as coisas de lugar. “Cresci mudando de casa todos os anos, porque minha mãe gostava dessa mudança para redecorar nosso lar de uma maneira diferente”, lembra Natalia. “Quando estávamos entediados, mudavamos todos os móveis e criamos um clima totalmente diferente.” Como o apartamento atual dela é pequeno, eles não podem mover os móveis, mas trocam a arte e as decorações para manter as ideias fluindo e evoluindo.

REPORTAGEM – Karine Monié 

IMAGEM – Cortesia da editora Natalia Swarz e do artista Armando Mesías © Todos os direitos reservados

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®