Max Renkel

27 de março de 2022

Divario, um container de arte sui generis em Roma, apresenta Deepscapes, uma exposição individual de Max Renkel, artista multidisciplinar, nascido em Munique e atualmente radicado em Roma. Há mais de trinta anos Renkel cria pinturas, esculturas, desenhos, livros e objetos que oscilam entre a pura abstração e elementos representativos.

No centro da obra de Max Renkel está uma vasta exploração dos processos mentais, das conexões lógicas, das memórias mutantes e dos movimentos imperceptíveis que, durante a gestação de uma obra de arte, se interpõem entre a ideia e sua execução.

A exposição fica em cartaz até 14 de maio de 2022 e é composta por 21 obras em tela e papel, objetos em madeira e uma gravura em linotipia – por meio das quais Max Renkel explora um dos temas mais importantes da pintura do século XX e seu absoluto anacronismo no momento presente: a dicotomia entre arte figurativa e arte abstrata.

Ao explorar os processos de simplificação em relação à representação do corpo humano, priorizando o feminino como sujeito dominante, o artista cria uma sequência aparentemente interminável de conexões entre esses dois polos e leva ao limite o potencial expressivo gerado pelo encontro entre eles.

Neste estudo minucioso da composição e da busca constante da cor pura, com um rigor quase científico, o artista retrata entidades bastante distintas que se fundem harmoniosamente na sua obra criando imagens estranhas, mas ao mesmo tempo familiares.

Formas curvilíneas e sinuosas parecem flutuar numa paisagem fechada mas extremamente profunda, como se não tivessem peso, na total ausência de gravidade. As formas geométricas voluptuosas rompem os limites de sua superfície bidimensional e parecem pertencer mais ao mundo da escultura do que ao da pintura.

A inspiração por trás da jornada artística de Renkel, que levou à criação de Deepscapes, tem origem na contemplação da natureza e da figura humana e explora sua ‘reconhecibilidade’ instintiva, o senso de identificação pessoal, erodindo ainda mais a ideia de que não há um limite potencial entre figuração e abstração.

Reportagem Especial Correspondance Magazine®

IMAGEM – Cortesia de Divario e do artista Max Renkel © Studio Daido © Todos os direitos reservados

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®