Chad Dorsey

8 de Julho de 2020

O designer de interiores Chad Dorsey não apenas projetou muitas casas para seus clientes, mas também criou dez espaços para si mesmo. “The Surf Shack”, o nome que ele apelidou de nova casa, “foi projetado para ser o meu último espaço pessoal, pelo menos em Dallas”, disse sorrindo. Em uma propriedade com uma árvore que cresce horizontalmente e uma bela vegetação, Dorsey tomou a decisão de derrubar a estrutura existente e construir sua casa ‘para sempre’ do zero. Inspirado pela paisagem e seu amor pelo sul da Califórnia, ele decidiu que o tema para sua nova casa seria um Surf Shack, um espaço arejado que se encaixa em sua abordagem sobre o design e sua assinatura, batizada de “Luxo Descontraído”. “Essencialmente, trata-se de viver casualmente com coisas que uma pessoa gosta de tocar e sentir de uma maneira que seja acessível e não preciosa”, explicou. “O luxo descontraído é frequentemente silencioso e pode até passar despercebido, mas as pessoas que tem um olhar perspicaz saberão apreciar os detalhes e a sensação relaxante de cada ambiente.”

Dependendo do cliente, o “Relaxed Luxury” pode ter diferentes iterações, para a casa pessoal de Chad, trata-se de “atenção irrestrita aos detalhes e colocá-los em evidência”. O exterior da casa tem vários materiais diferentes, principalmente telhas Shou-Sugi-Ban e metal corrugado preto. Ao entrar, você fica impressionado com a leveza da casa de 300 m², “o Surf Shack foi projetado para não desperdiçar espaço”, disse ele. “Meu objetivo era investir em espaços que são usufruídos, promovendo experiências que valem a pena, ao mesmo tempo em que evitamos o excesso ou o desnecessário”. Os pisos da casa são todos de concreto, enquanto existem alguns materiais luxuosos usados ​​em diferentes momentos pontuais, como o mármore do Marketing de Materiais na parede principal do banheiro, bem como o bar com bancadas de cobre e um contra-piso geométrico da Exquisite Surfaces.

Como uma espécie de homenagem ao fato de que este seria seu lar para sempre, Chad fez algumas escolhas que lhe pareceram pessoais: “Foi arriscado projetar e construir exatamente o que eu mesmo queria, e não o que alguma lista de imóveis ou valor de revenda dita”, ele compartilhou. Um mural de graffiti do artista Joe Skilz no escritório doméstico é um exemplo de como a casa foi perfeitamente adaptada à personalidade de Chad. “Projetar uma casa de dois quartos e dois metros quadrados não agrada a todos”, ele admitiu. “Mas eu não mudaria nenhum espaço.”

REPORTAGEM ESPECIAL – Victoria Câmara

IMAGEM – Cortesia do arquiteto de interiores Chad Dorsey clicada por Stephen Karlisch © Todos os direitos reservados

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®