Leonardo da Vinci

29 de Novembro de 2019

Temos que começar com o sorriso mais famoso do mundo para descobrir onde a Mona Lisa se encaixa na vida e no trabalho de Leonardo da Vinci – e como ela conseguiu nos enfeitiçar por 500 anos? Esse ano de 2019 marca o aniversário de 500 anos da morte de Leonardo da Vinci e o Louvre, que possui a maior coleção do mundo das pinturas  do Mestre da Renascença, além de 22 desenhos, se apropria desse ano de comemorações para reunir o maior número possível de pinturas do artista em torno das cinco obras principais de suas coleções: A Virgem das Rochas, São João Batista, Santa Ana e Mona Lisa, que permanecerá na galeria onde normalmente é exibida, e La Belle Ferronnière, o objetivo é colocá-los ao lado de uma grande variedade de desenhos, além de uma série pequena, mas significativa, de pinturas e esculturas do círculo do mestre. A exposição fica em cartaz até 24 de fevereiro de 2020.

O sorriso da Mona Lisa é o trabalho que culminou a vida inteira de Leonardo da Vinci, que estudou arte, ciência, ótica e todos os outros campos possíveis com os quais ele poderia aplicar sua curiosidade, incluindo a compreensão do universo e como nos encaixamos nele. Da Vinci rabiscou muitas páginas em seus cadernos dissecando o rosto humano para descobrir todos os músculos e nervos que tocavam os lábios. Em uma dessas páginas, épossível ver um esboço fraco no topo do início do sorriso da Mona Lisa. Da Vinci manteve essa pintura desde 1503, quando a iniciou, até o leito de morte em 1519, tentando obter todos os aspectos exatamente corretos, camada após camada. Durante esse período, ele dissecou o olho humano em cadáveres e foi capaz de entender que o centro da retina vê detalhes, mas as bordas veem sombras e formas com mais acuidade. Se você olhar diretamente para o sorriso da Mona Lisa, os cantos dos lábios ficam levemente para baixo, mas as sombras e a luz fazem parecer que estão virando para cima. Quando você move os olhos pelo rosto dela, o sorriso pisca dentro e fora, mas a “Mona Lisa” é o ponto culminante, porque as emoções que ela está expressando, assim como seu sorriso, são um pouco esquivas. Toda vez que você olha para ela, parece um pouco diferente. Ao contrário de outros retratos da época, essa não é apenas uma representação plana e de superfície. O objetivo de Leonardo da Vinci era tentar descrever as emoções internas dessa pintura.

Essa retrospectiva sem precedentes da carreira de pintor de Da Vinci ilustra o quanto ele deu a maior importância à pintura e como sua investigação do mundo, que ele chamou de “a ciência da pintura”, foi o instrumento de sua arte, buscando nada menos que trazer vida às suas pinturas. A mostra é o culminar de mais de dez anos de trabalho, incluindo novos exames científicos das pinturas do Louvre e o tratamento de conservação de três deles, permitindo uma melhor compreensão da prática artística e da técnica pictórica de Da Vinci. O esclarecimento de sua biografia também emergiu através do reexame exaustivo de documentos de arquivo. Fechando o círculo, a exposição pinta o retrato de um homem e um artista de extraordinária liberdade.

A editora Prestel lançou Leonardo da Vinci – The  Complete Paintings in Detail, em tradução livre, “Leonardo da Vinci – As pinturas completas em detalhes”, com textos e análises de Alessandro Vezzosi, em torno das pinturas icônicas do gênio italiano, incluindo “Mona Lisa” e “A Última Ceia”. Ricamente ilustrado com projetos de máquinas voadoras e estudos inovadores sobre ótica e perspectiva, Leonardo fundiu ciência e arte para criar obras que se tornaram parte da história da humanidade. Alessandro Vezzosi, que é Diretor do Museo Ideale Leonardo da Vinci, em Vinci, na Itália, e professor da Academia de Artes de Desenho, em Florença, analisa desde o nascimento e maturidade precoce do artista nas oficinas dos mestres florentinos, investiga a procedência de obras disputadas como Madonna Litta e La Bella Principessa. Vezzosi demonstra como os recentes avanços tecnológicos auxiliou pesquisadores no estudo e restauração da arte de Da Vinci, incluindo o estabelecimento de atribuições controversas, além de explorar as realizações científicas do artista nos campos da ótica e composição de tinta. Com uma edição luxuosa e requintada, o livro examina os aspectos mais significativos do trabalho de Da Vinci e oferece vários exemplos comparativos através de documentos de arquivo, estudos preparatórios e pinturas contemporâneas. O leitor vai se deliciar com a abrangente pesquisa empreendida pelo autor que se debruçou sobre a aplicação do conhecimento do século XXI para ajudar à responder as perguntas centenárias sobre o Renascimento e a importância desse gênio para a Humanidade.

IMAGEM – Portrait d’une dame de la cour de Milan, dit à tort La belle Ferronnière. Attributed to Marco D’Oggiono (1475-1530). Portrait of Leonardo da Vinci. Red chalk on white paper, mm 317×237. Inv. F 263 inf. sheet 1 bis © Veneranda Biblioteca Ambrosiana. Vinci Léonard de (1452-1519). Paris, Musée du Louvre, D.A.G.. MI753 recto © Leonardo da Vinci (1452-1519), Ritratto di musico, 1485-1490, tempera e olio su tavola, 40×30 cm. (Inv. 99) © Leonardo da Vinci Red chalk on pale, brown-toned paper 226×186 mm. This photograph is issued to end-user media only. Single use only. Photographs must not be archived or sold on © Vinci Léonard de (1452-1519). Paris, Musée du Louvre © Léonard de Vinci Sainte Anne la Vierge et l’Enfant Jésus dite La Sainte Anne © RMN – Grand Palais © Musée du Louvre © René Gabriel Ojéda. Exposição Leonardo da Vinci 2019 © Musée du Louvre © Antoine Mongodin

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®