O mito Chanel

3 de Julho de 2020

A estilista Gabrielle ‘Coco’ Chanel teceu a trama da sua vida de acordo com sua personalidade. Nos anos 30, uma época em que era difícil mudar de condição social sem instrução, ela se auto-educou e foi alçada ao sucesso graças às milhares de mulheres que a consideravam um gênio da elegância e do luxo, quando ainda era apenas uma simples costureira. Mas, afinal, como não acreditar no talento de alguém que ousou imprimir o preto e o branco em todas as suas criações? De tudo o que se sabe sobre a ascensão dessa mulher no mundo da moda, não consta em nenhum lugar alguma interferência cultural ou histórica que tenha servido de apoio para justificar esse estilo único que ela inventou. A ousadia encontrada desde suas primeiras coleções, não passava, na verdade, de releituras do que já existia. E, ainda assim, sem nenhuma ilusão sobre o assunto, a estilista se debruçava sobre suas memórias como fio condutor para espelhar suas criações, que correspondiam à rigor o bom senso.

Como contar a história de alguém que apagou todas as pistas do seu passado? Esse foi o desafio da autora Justine Picardie, que teve como missão escrever Chanel – Her Life, biografia ilustrada de Coco Chanel (1883-1971), lançada pela editora alemã Steidl com desenhos de Karl Lagerfeld. Para compor os textos dessa biografia, Picardie se debruçou sobre arquivos, memórias e pesquisas analisando em detalhes os fatos históricos e o contexto social que contribuiu para eternizar uma das personalidades mais cativantes e controversas do século XX. Confrontando fábulas, narrativas, meias-verdades e rumores, a autora de Chanel – Her Life se esmerou para traduzir aos leitores a história dessa mulher de fibra, empreendedora e pragmática que foi Coco Chanel. Para atingir esse ambicioso objetivo, Justine Picardie teve o privilégio de consultar vários documentos históricos sobre a vida de Gabrielle ‘Coco’ Chanel, antes dela se transformar no mito Chanel, e é o primeiro autor a examinar arquivos privados, recentemente descobertos na Inglaterra e na França. Chanel – Her Life é uma caixa de Pandora cheia de surpresas, que vai fascinar os apaixonados por moda e os admiradores do estilo Chanel.

A publicação é rica em fatos históricos e mostra através das épocas a consistência do estilo singular, imaginado por Coco Chanel. Ela fincou seu talento no imaginário coletivo de sua época, revisitando com muita criatividade uma moda que estava vinculada ao seu passado de pobreza e restrições financeiras. Um passado que ela abominava e negava, tentando apagá-lo a qualquer custo, mas que era o motor de suas ideias e fazia toda a diferença em suas criações. Afinal, Chanel conhecia como nenhum outro estilista as reais necessidades das mulheres do seu tempo e foi através da observação desses valores sociais, que ela subverteu o cerimonial da mesmice de uma moda em declínio para recriar o estilo de uma mulher moderna. Essa subversão natural a acompanhou durante seus áureos anos de criação e segue com a grife até os dias de hoje, onde o paradoxo de todas as coleções concentra-se em aliar, à mais evidente funcionalidade das peças, um refinamento extremo, criando, assim, uma moda definitivamente indissociável do seu tempo. É esse espírito inovador e atemporal que guia a marca Chanel, afinal, como ela mesma costumava afirmar, a moda passa mas o estilo permanece…

EDIÇÃO DE TEXTO – Marilane Borges

IMAGE – Cortesia da editora Steidl para o livro “Chanel – Her Life” © Todos os direitos reservados

PORTRAIT – Fashion Designer Coco Chanel, 1964 © Apis/Sygma/Corbis

Você também pode gostar...

Para receber nossas matérias
Muito obrigado pela sua visita!
Correspondance Magazine®